Sem categoria

Zona Franca de Manaus está de olho nas importações da Argentina

Moto Honda diz que volume de exportações pode crescer em 2016, com a decisão – foto: Ione Moreno

Moto Honda diz que volume de exportações pode crescer em 2016, com a decisão – foto: Ione Moreno

As medidas pelo destravamento das importações de produtos de outros países, tomadas pelo novo presidente da Argentina, Mauricio Macri, geraram perspectivas positivas às exportações do Polo Industrial de Manaus (PIM). O país vizinho é um dos mercados da América Latina para a Zona Franca de Manaus (ZFM), principalmente do polo de duas rodas.

A abertura das portas da Argentina para o diálogo com o mercado internacional aconteceu na última segunda-feira (14), quando o também novo ministro da Produção da Argentina, Francisco Cabrera, garantiu que, a partir de 31 de dezembro, deixará de vigorar no país a Declaração Jurada de Autorização à Importação (Djai). O ato é uma medida burocrática usada por Cristina Kirchner para equilibrar a balança comercial quando faltavam dólares no país.

De acordo com o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, as medidas vão facilitar as relações comerciais entre a Argentina e o Brasil. “Nós temos um comércio muito intenso com eles e isso poderá ser bom não somente para o Brasil em geral, mas para todos nós da Zona Franca de Manaus também”, observou Azevedo. Ele explicou que a burocracia significa tempo, e onde existe a desburocratização a fluidez dos tramites é mais rápida, o que garante maior rotatividade aos produtos comercializados.

“A partir do momento que existe uma facilitação, a velocidade é maior, os prazos ficam mais curtos, exonerando o desembaraço de modo geral, enfim, ganha o empresário, o comerciante, o importador e o exportador. E o mercado fica mais tranquilo”, explicou o economista.

Para o presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, essas medidas são sinalizações positivas para a adaptação da Argentina no mercado que é globalizado. Segundo Périco, a desburocratização para o mercado é uma nova cultura de um governo que está aberto a uma melhora econômica.

O presidente do Cieam explicou ainda que antes dos novos indicadores as exportações para a Argentina estavam cada vez mais difíceis, e agora haverá uma facilitação que disponibilizará uma maior velocidade nas transações, deixando o mercado mais aquecido.

De acordo com o gerente institucional da Moto Honda, Mario Okubo, a Argentina é o principal importador dos produtos do PIM da América Latina, e com essa medida do governo argentino abre-se uma perspectiva de aumento de volume das exportações. Para ele, com esse movimento, o comércio exterior deve melhorar muito entre os dois países.

Até o ano passado, a Argentina era o maior comprador externo da produção do PIM, cuja participação nas exportações girava em torno de 25%. Dentre os principais produtos inclusos nesta lista de exportação para o país vizinho estavam as motocicletas de 125 e 250 cilindradas, aparelhos e lâminas de barbear e canetas.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir