Tecnologia

YouTube lança app para transmissão ao vivo de games no Brasil

O YouTube lançou nesta quinta-feira (1º) no Brasil seu aplicativo específico para games, que permite transmitir partidas ao vivo. Assim, a empresa tenta se posicionar melhor frente a concorrentes como o Twitch, da Amazon.

O YouTube Gaming, disponível para plataformas iOS e Android, permite que os usuários assistam a transmissões de jogos ao vivo enquanto conversam com outros usuários, ou criem seu próprio conteúdo ao vivo sobre o tema.

Assim como no app de vídeos tradicionais, também é possível gravar e postar vídeos sobre jogos e também ter acesso a conteúdo relacionado.

“O algoritmo do app foi adaptado para dar foco nos games. Se você procura por ‘Porta dos Fundos’, vai encontrar um vídeo que eles fizeram sobre jogos”, diz Alessandro Sassaroli, porta-voz do Google, na feira Brasil Game Show (BGS), que abre ao público nesta sexta-feira (2), em São Paulo.

A estratégia, diz ele, é ter um canal específico para manter a atenção de um público que consome muito conteúdo e de modo intenso. Hoje, vídeos sobre games são tão assistidos quanto os de música no YouTube.

A produção de vídeos sobre jogos se tornou uma profissão lucrativa para jogadores amadores -caso de Pedro Resende, o resendeevil, dono de um dos maiores canais do site e que expandiu sua marca para setores como o de livros e o de peças de teatro. Ou de Marco Túlio, do canal AuthenticGames, que recentemente virou marca de roupa de cama.

Há também o segmento de transmissões de atletas profissionais, que exibem treinamentos e shows particulares ao vivo e interagem com o público em tempo real.

Sassaroli diz que, por enquanto, a empresa não pretende negociar direitos para transmissão de torneios ao vivo -uma demanda recente de equipes profissionais de games, que na semana passada criaram uma associação para tratar do assunto.

Hoje, os times não recebem das transmissoras, incluindo os canais de TV. Mas torneios populares, como os de ‘League of Legends’, costumam passar ao vivo no YouTube, assim como no Twitch.

“É muito raro que a empresa faça compra de direitos de transmissão”, diz o executivo.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir