Cultura

Ximbinha trás a Manaus projeto X-Calypso nesta sexta-feira

Antes Chimbinha, agora Ximbinha, músico fala sobre o desafio de começar projeto X-Calypso, que traz a Manaus, essa sexta-feira (29) - foto: divulgação

Antes Chimbinha, agora Ximbinha, músico fala sobre o desafio de começar projeto X-Calypso, que traz a Manaus, essa sexta-feira (29) – foto: divulgação

Em carreira solo após 16 anos na banda Calypso, o guitarrista Cledivan de Almeida Farias, 42, o “Ximbinha”, começa tudo de novo na carreira. O reinício é percebido logo no apelido, no qual trocou o “CH” pelo “X” e no nome da nova banda ao qual incorporou o “X” em uma espécie de X-Man do forró e brega: a “X-Calypso”.

A nova jornada musical também forçou uma mudança de endereço. Ximbinha deixou São Paulo e voltou a Belém, sua terra natal, da qual esteve longe durante 28 anos. Agora em destaque na banda, Ximbinha promete mudanças também nas composições. Pretende adotar uma pegada com mais swing e ênfase no som da guitarra e da bateria.

“É um novo começo. Tenho encarado essa nova fase como um grande desafio, que graças à Deus tem dado certo.  É claro que, no início, foi um pouco difícil retomar. Já tinha uma carreira consolidada, mas isso não desestimulou”, diz. “Depois que decidimos pelo fim do Calypso, eu tive que continuar com a minha profissão, pois a música faz parte da minha vida. Foi a partir dessa necessidade, que surgiu a ideia de promover uma nova banda”, conta.

Sobre a experiência solo, o guitarrista lembrou que “foi difícil encontrar uma forma de atrair o público. Numa banda, o vocalista sempre concentra as atenções. Fiquei pensativo no primeiro momento, depois foi tranquilo encarar essa questão. Até porque sempre tive muita visibilidade na Calypso. Tem muita gente que gosta do meu trabalho, que acompanha a minha carreira, o que me deixa muito feliz”, comemora.

De volta à estrada, Ximbinha promete surpresas aos fãs. “Estamos com vários projetos que, aos poucos, serão compartilhados com o público. X-Calypso conta com muito swing e ousadia. A gente tem buscado apresentar uma proposta musical inovada, apesar da guitarra ser muito presente nas músicas e hora ou outra se assemelhar com a pegada da Banda Claypso, nosso grupo tem investido em batidas diferentes. Temos tido uma aceitação positiva, por onde passamos somos bem recebido pelos fãs e isso nos motiva bastante”, diz.

X-Calypso é formada por três vocais: a pernambucana Leya e os paraenses Gêh Rodriguez e Carla Maués. As músicas “Saudade” de (Carlinhos Maraial e Edu Lupa) e “O estranho” (Chrystian Lima e Ivo Lima) são os carros-chefes deste novo momento, que ainda tem músicas compostas por Tony Brasil, Beto Caju, Cesar Lemos, Binho Aguiar, entre outros. “Entendi que o público precisava de algo novo e a X-Calypso é esta opção”, diz Ximbinha.

Show

Sexta-feira (29), o público amazonense vai prestigiar o lançamento do primeiro CD da banda X-Calypso. O evento está marcado para as 20h, no Clube do Pará, na avenida Max Teixeira, estrada da Cidade Nova (antigo Planeta Talismã), Zona Norte. Sobre a apresentação em Manaus, Ximbinha disse que está muito empolgado, e que considera a capital amazonense sua segunda casa. “Estou ansioso e muito satisfeito em poder lançar o meu primeiro CD em Manaus. Sempre fui muito bem recebido e abraçado por todos. Tenho uma gratidão enorme pelos amazonenses. Vai ser uma grande festa. Desde já, faço um convite especial para esse show que promete muitas emoções”, antecipa o guitarrista.

Ingressos

Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 40 para a pista (estudante/ 1º lote), R$ 60 para o camarote e R$ 120 para a área VIP (open bar de água, cerveja e refrigerante). Os ingressos podem ser obtidos nas lojas Visual do Pé (Centro, Shopping ViaNorte e Manôa) e na bilheteria do Clube do Pará.

Por Bruna Amaral

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir