Eleições 2016

Wilson Lima atua como um ‘vice extra’ na coligação de Marcelo Ramos

Wilson Lima é figura presente em caminhadas, comícios e vídeos, ao lado dos candidatos majoritários - foto: divulgação

Wilson Lima é figura presente em caminhadas, comícios e vídeos, ao lado dos candidatos majoritários – foto: divulgação

Mesmo após 43 dias depois da coligação “Mudança para Transformar” anunciar que o Wilson Lima não era mais o candidato oficial a vice da chapa, ao lado de Marcelo Ramos (PR), o jornalista continua a se portar como candidato na função. Atitudes como subir ao palanque, fazer caminhada ao lado do candidato majoritário e participar de vídeos, mostram que a vinda de Josué Neto para o posto oficial de vice só alavancou a coligação, que, agora, possui “dois vices”.

Com expressivo reconhecimento popular, Wilson Lima diz que na sua carreira como apresentador de televisão sempre fez denúncias e encaminhou os problemas ao poder público. A princípio, ele admite que tinha uma certa resistência em relação à política, mas um dia parou para analisar que muitas críticas existem, mas poucos colocam o nome à disposição. “Conversei muito com o Marcelo e disse que iria participar. Mas, não era para eu ser vice ou assumir qualquer cargo. Não há esse compromisso, com o Marcelo, de que se ele for eleito vou conseguir algum cargo como secretário. O que eu pedi foi que a gente pudesse ir naqueles locais que eu fui e onde a prefeitura não dá atenção e não melhora a vida daquelas pessoas”, explicou.

Questionado se a participação dele seria como uma jogada de marketing, tendo em vista a sua popularidade, Wilson descarta, afirmando que há estratégias melhores do que ele mesmo para beneficiar a campanha de Marcelo. “Tanto que, quando acabar tudo, eu vou voltar para a televisão. Claro que eu vou ter uma proximidade com o Marcelo, na prefeitura, para opinar, caso ele seja eleito. Eu entrei nesse projeto sem exigir cargos, inclusive, me ofereceram, mas eu neguei. Não estão me dando dinheiro, eu posso muito bem voltar a fazer que eu faço na televisão, porque eu ganho bem, consigo viver bem, comer bem e pagar as minhas contas. Eu estou porque eu acredito nesse projeto”.

O mesmo questionamento foi feito para o Marcelo Ramos, que disse que as pessoas que fazem esses comentários de que Wilson seria estratégia de marketing estão acostumadas com políticas velhas. “Indivíduos que só se envolvem em troca de cargos, por isso quem está acostumado com modelo velho faz esse tipo de comentário. Wilson nos procurou porque acredita nas nossas propostas, independentemente de cargos. Quando houve a decisão de ele ser vice, ele manteve o mesmo discurso, quando houve a troca, sustentou o mesmo discurso, o mesmo engajamento”, ressaltou.

O marqueteiro de Marcelo, Renato Bagre, também descartou essa possibilidade por achar uma ideia mirabolante. “Sempre vai haver conversas de que a participação dele é tática de mercadologia, na verdade não tem como enganar, as coisas estão mudando e o ponto de vista das pessoas mudou”.

Com informações

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir