Sem categoria

Voos cortados em Manaus geram turbulência no setor aéreo

TAM e Gol cortaram voos regulares de Manaus, como os diretos para Miami e também para o Rio de Janeiro, enquanto isso, o governo do Amazonas negocia a retomada dos voos juntos aos representantes das companhias – foto: divulgação

TAM e Gol cortaram voos regulares de Manaus, como os diretos para Miami e também para o Rio de Janeiro, enquanto isso, o governo do Amazonas negocia a retomada dos voos juntos aos representantes das companhias – foto: divulgação

O corte de voos regulares nacionais e internacionais, em Manaus, por empresas aéreas como a Tam e a Gol, e a valorização do dólar que começou no final do ano passado, já refletiram na queda de até 70% das vendas de passagens aéreas das agências amazonenses. A crise que afetou o segmento pode estar longe de um fim e os empresários se queixam do momento.

A proprietária da Nortetour Viagens, Rai Pinheiro, afirma que as vendas de passagens aéreas diminuíram 70% após os cancelamentos dos voos que partem de Manaus para destinos internacionais. Além dos cancelamentos, a empresária atribuiu a queda na procura as altas tarifas vindas das empresas aéreas, e o alto valor do dólar turismo (R$ 3,82).

“As empresas até tentam fazer promoções para atrair a clientela, porém, além da maioria não alcançar o Amazonas, os valores são em dólar e não em real, ou seja, continua muito caro, principalmente em um momento que a economia brasileira está estagnada”, avaliou a empresária.

Para tentar economizar ao máximo na compra de passagens aéreas, Rai orienta que as pessoas interessadas em viajar procurem agentes de turismo e não compras diretas feitas pela internet, pois segundo ela, os agentes podem negociar os preços junto as companhias aéreas. Ela afirmou que o segmento de viagens deve ficar bastante atento as possíveis dificuldades que ainda virão. “As empresas aéreas não estão em bom momento”, disse.

De acordo com a gerente de operações da Amazon Explores Viagens, Rejane Dias, os cancelamentos de alguns voos que eram a preferência do consumidor, tem atrapalhado bastante a venda de passagens. O volume de perda ainda não foi computado, contudo, ela salienta que as empresas já conseguem observar uma procura menor por passagens. “As alterações nos voos que eram de preferência dos clientes fizeram com que a procura diminuísse”, afirmou.

A gerente explicou que os destinos como Rio de Janeiro estão alternando entre os dias, e Miami foi cancelado definitivamente, até a revogação da decisão. Dos destinos preferidos pelos clientes, apenas os voos para Fortaleza continuam, no entanto, com uma queda já notada nas vendas de passagens. Apesar do período de baixa temporada, Rejane, observou que o volume de vendas era maior nos anos anteriores.

Retomadas?

A empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) ainda espera resposta das companhias aéreas, às propostas apresentadas pelo governo do Estado em relação a retomada dos voos que foram cancelados. A Amazonastur informou que as conversas com todas as empresas, tanto as que retiraram os voos, quanto as que ainda permanecem, tem corrido em bom curso.

A expectativa do governo é de uma resposta favorável para o Estado e a retomada dos destinos internacionais e a regulação dos destinos nacionais. Em fevereiro, a Azul Linhas Aéreas anunciou voos regulares Manaus/Belém (PA) e Manaus/Campinas (SP). Mas, apesar da expectativa da Amazonastur, a turbulência no setor aéreo pode estar longe de acabar.

Tráfego doméstico cai, diz Abear

De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), o tráfego de passageiros em voos domésticos, no país, teve redução de 3,1% em fevereiro, em relação ao mesmo mês de 2015. Foi a sétima queda mensal consecutiva de demanda. A oferta de assentos nos aviões recuou 1% na mesma base de comparação, sendo a 12ª retração sucessiva nesse indicador.

A taxa média de ocupação dos aviões ficou em 78,43%, decréscimo de 1,66 ponto percentual. “Como a oferta cai menos que a demanda, tivemos uma queda no aproveitamento dos voos. Mesmo assim, foi um resultado bom, o que indica que as companhias aéreas continuam com capacidade para ajustar a oferta ao novo cenário de demanda”, afirmou o consultor-técnico da Abear, Maurício Emboaba.

O volume total de passageiros transportados no país recuou 0,7% em fevereiro, ante igual período de 2015, ao se situar em 7,2 milhões de pessoas. E, diferente de Manaus, a demanda por voos internacionais, por sua vez, teve crescimento de 5,5% em fevereiro, ante igual período do ano passado. A oferta mostrou aumento de 4,2% na comparação anual. Com isso, a taxa média de aproveitamento das aeronaves teve elevação de 1 ponto percentual, ao se situar em 80,79%.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir