Economia

Volume de investimentos na Zona Franca cai 25%

Secretários Thomaz Nogueira e Afonso Lobo participaram ontem da reunião do Codam - foto: divulgação/Márcio Melo

Secretários Thomaz Nogueira e Afonso Lobo participaram ontem da reunião do Codam – foto: divulgação/Márcio Melo

A crise econômica mostrou suas garras nos investimentos da Zona Franca de Manaus (ZFM). Nesta quinta-feira (3), na 257ª reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam), foram aprovados 25% a menos de projetos de investimentos em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o titular da Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplan-CTI), Thomaz Nogueira.

Enquanto no mesmo período de 2014, o Codam aprovou volume de investimentos de R$ 883 milhões, na reunião de ontem os conselheiros tinham somente R$ 343,5 milhões para aprovarem. Com relação às vagas de empregos, as previstas em setembro do ano passado totalizavam 2.778, enquanto no encontro de ontem havia apenas 454 vagas.

Nogueira avaliou como desaceleração dos investimentos e não como recuo, dados os efeitos da crise econômica que assola o país, principalmente a indústria. Ele ressaltou, contudo, que no Codam há vários projetos novos a serem aplicados na ZFM, com a concessão de incentivos por parte do Estado, a partir da dedução do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal (ICMS).

“Embora numa velocidade bem menor do que nós desejaríamos, mas não podemos deixar de destacar e reconhecer o esforço dos empreendedores que continuam a investir no Amazonas e a confiar que o que vivemos é uma crise absolutamente conjuntural e que nós temos condições de, no futuro, retomar o crescimento e a produção”, comentou o secretário.

Ex-titular da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Nogueira disse que os empreendedores que apresentam projetos no Codam também precisam da aprovação no Conselho Administrativo da Suframa (CAS), cuja reunião já teve dois cancelamentos. “Creio que os cancelamentos [da reunião] vão se resolver no curto prazo, mas é preciso que se realize a reunião porque o empreendedor precisa tanto da aprovação no Codam quanto no CAS”, apontou.

O superintendente interino da Suframa, Gustavo Igrejas, explicou que 90% dos projetos apresentados no Codam seguem para avaliação no CAS, que avalia incentivos fiscais como o Imposto de Importação (II), Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) e Pis/Confins. Ele afirmou que a data para a reunião do CAS está fechada para o dia 23 de setembro, às 10h, no auditório do prédio da autarquia.

O cancelamento da agenda, segundo Igrejas, se deu para que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Armando Monteiro, pudesse conseguir vir a Manaus e presidir a reunião do CAS.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir