Cultura

Vitória Régia e Andanças estão prontas para brilhar

Com o tema 'A terra do nunca é verde e rosa', a Vitória Régia conta em seu enredo e em alegorias gigantescas - foto: Arthur Castro

Com o tema ‘A terra do nunca é verde e rosa’, a Vitória Régia conta em seu enredo e em alegorias gigantescas – foto: Arthur Castro

Prontas para a disputa, as duas últimas agremiações a passar pela passarela do samba, já na manhã do domingo (7), investiram em temas que devem mexer com o imaginário dos foliões que irão conferir as apresentações. A escola de samba Vitória Régia, a verde e rosa da Praça 14 de Janeiro, Zona Sul, vem com garra e determinação para conquistar o seu 12º título de campeã do Carnaval amazonense, de acordo com o artista responsável pelos trabalhos no barracão da verde rosa, Diogo Pinheiro.

Com o tema “A terra do nunca é verde e rosa”, a Vitória Régia conta em seu enredo e em alegorias gigantescas, a história que marcou e ainda marca a infância de muita gente. Com 3,5 mil brincantes, a escola, que está homenageando o universo dos personagens Peter Pan e Sininho, diversifica no tema das demais agremiações e aposta todas as suas fichas em um mundo de diversões e encanto.

Segundo Diogo, diferente dos outros anos, a escola enfrentou dificuldades para colocar o seu Carnaval na avenida. Fato este que não tirou a determinação da agremiação em disputar o primeiro lugar na lista das melhores escolas de samba de Manaus.

Ele destacou que todos os esforços foram voltados para que os trabalhos no barracão estivessem prontos 48 horas antes do grande desfile. Para ele, agora é hora de relaxar e esperar os resultados positivos, frutos da dedicação de toda uma equipe que tem paixão pela verde rosa.

“Se o desfile fosse hoje (ontem), a Vitória Régia estaria pronta para se apresentar. Realizamos uma força-tarefa para que nada, nenhum detalhe fosse concluído em cima da hora. Como sempre, estamos vindo para disputar o título de campeã. Mesmo com toda a dificuldade, a verde rosa da Praça 14 vem trazendo alegorias gigantescas com acabamentos perfeitos. A Vitória Régia está mais forte do que nunca”, pontuou.

Perseverança

Mostrando a criação, a evolução e a perfeição das cores, a Andanças de Ciganos, que este ano comemora 40 anos de fundação, irá levar o público a uma viagem em um universo de magias. De acordo com o presidente da escola, Wilson Benayon, um dos pontos altos da apresentação será a homenagem aos artistas locais que trabalham com as cores. A estimativa é que ao menos 2,5 mil brincantes façam a festa da escola.

“A perfeição das cores sob o olhar pitoresco do imaginário” é a aposta da agremiação para impressionar os jurados. Criada no bairro da Cachoeirinha, na Zona Sul, a Andanças de Ciganos preparou para este ano a sua maior apresentação desde a fundação em 1975.

“Tivemos várias surpresas desagradáveis este ano. O corte no repasse foi uma delas. Mesmo assim não esmorecemos e continuamos com o nosso foco de levar para a avenida uma escola digna de estar no grupo especial. A Andanças de Cigano vem grandiosa, bonita e forte. Esses contratempos não atrapalharam a nossa meta. Estamos prontos para ficar entre as primeiras”, frisou o presidente.

Responsável por toda parte artística da escola, Jander Leocádio, disse que a equipe foi cuidadosa no acabamento para que o enredo fosse contado da melhor maneira possível. Ele ressaltou que a experiência adquirida em outros estados fez com que a Andanças realizasse este ano, um trabalho com qualidade.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir