Dia a dia

Visa Manaus interdita abatedouro clandestino de aves no Novo Israel

Após a expedição do auto de infração, o proprietário do abatedouro terá três dias úteis para apresentar defesa junto a Visa Manaus - foto: divulgação

Após a expedição do auto de infração, o proprietário do abatedouro terá três dias úteis para apresentar defesa junto a Visa Manaus – foto: divulgação

Equipe de fiscais da Vigilância Sanitária do Município (Visa Manaus) em inspeção realizada na manhã desta  quinta-feira (17), interditou um abatedouro de aves clandestino, localizado no beco Santo Amaro, bairro de Novo Israel, Zona Norte. Na fiscalização foram encontradas 51 aves vivas e cerca de 150 quilos de resíduos do abate em um caminhão, que seriam descartados pelo proprietário do estabelecimento, Amaro Correia Salgado, 52 anos.

Sem nenhuma condição de higiene sanitária e sem licença para funcionar, o estabelecimento foi interditado para garantir a saúde pública da população, principalmente, dos moradores do bairro de Novo Israel, pois as aves abatidas também eram vendidas em mercearias e pequenos comércios da área, conforme informou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

“Nossas blitze são para garantir que todos os comerciantes e empresários ofereçam condições sanitárias para que os alimentos sejam vendidos com segurança à população”, assegurou.

A inspeção partiu de denúncias de moradores nas proximidades onde funcionava o abatedouro, que estavam sendo prejudicados com o estabelecimento situado em área residencial na zona Norte. No início da fiscalização, Amaro Salgado ainda tentou negar as irregularidades encontradas pelos fiscais, alegando que tinha autorização para realizar o abate das aves.

Depois admitiu e contou aos fiscais que adquire aves em granjas e faz o abate para venda ao consumo em geral da população. Mesmo alegando dispor de documentação para funcionar, o comerciante não apresentou a licença sanitária e, diante das irregularidades encontradas, os fiscais interditaram o estabelecimento que funcionava em área da residência do próprio infrator.

Após a expedição do auto de infração, o proprietário do abatedouro terá três dias úteis para apresentar defesa junto a Visa Manaus. Em seguida, será aberto processo administrativo por meio do qual será arbitrado o valor da multa, tendo como base a gravidade das irregularidades encontradas em relação ao Código Sanitário do Município (Lei 392/97) e o risco à saúde da população.

Como resultado do abate das aves, parte dos resíduos em decomposição terminava despejada nas sarjetas e ruas do bairro, com o transbordamento de bueiros. Essa situação tem, segundo alguns moradores, provocado alagações de ruas, becos e provocado mau cheiro na área.

Com informações da assessoria de comunicação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir