Mundo

Violência interrompe Parada do Orgulho Gay em Kiev

Cinco policiais ucranianos ficaram feridos neste sábado (6), um deles em estado grave, em confrontos com radicais ultranacionalistas que tentaram atacar os participantes da Parada do Orgulho Gay realizada em Kiev, na Ucrânia.

Pelo menos 25 radicais foram detidos, acusados de lançar morteiros e outros objetos contra participantes da marcha e agentes policiais, como informou o Ministério do Interior ucraniano.

Aparentemente, um dos policiais sofreu a ruptura de uma veia no pescoço feita por estilhaços que se encontravam no interior de um morteiro lançado.

“Radicais de extrema direita invadiram o local onde acontecia a Parada do Orgulho de Kiev e lançaram entre cinco e dez morteiros. Foram detidos pela polícia”, escreveu no Twitter Sergey Leschenko, deputado do ‘Bloco Poroshenko’, ligado ao presidente ucraniano Petro Poroshenko.

O prefeito de Kiev Vitaly Klitschko chegou a aconselhar organizadores a cancelar a ‘KyivPride2015’ por conta de ameaças de violência de ultranacionalistas. A organização da parada, por sua vez, informou na sexta-feira (5) que seguiria adiante.

A agência local ‘Interfax Ukraini’, divulgou que cerca de 300 pessoas, incluídos os jornalistas que cobriam o evento, participaram da passeata, que, apesar do incidente, contou com fortes medidas de segurança.

Esta foi a segunda vez que Parada do Orgulho Gay foi realizada na Ucrânia. A primeira marcha ocorreu em 2013.

Autoridades ucranianas têm aumentado a garantia de direitos ao público LGBT após protestos no ano passado. Atitudes homofóbicas por parte da população, porém, são generalizadas.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir