Sem categoria

Vigilantes protestam contra ameaça de demissão, em frente à sede do governo do AM

O ato ocorreu em frente à sede do governo, na avenida Brasil – fotos: Ione Moreno

O ato ocorreu em frente à sede do governo, na avenida Brasil – fotos: Ione Moreno

Cerca de 500 vigilantes do Amazonas realizaram na manhã desta segunda-feira (13) uma manifestação contra a decisão de demissão que ameaça pelo menos quatro mil trabalhadores do setor. O ato ocorreu em frente à sede do governo, na avenida Brasil, Zona Oeste da cidade, onde os manifestantes cobraram uma audiência com o governador José Melo para tratar do assunto.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Vigilantes do Amazonas (Sindvam), Valderli Bernardo, na última semana, José Melo teria anunciado a redução do quadro, como medida para novos ajustes na máquina administrativa.

Segundo o dirigente, o governador teria alegada que a ação é uma forma de enfrentar com maior segurança os impactos da crise econômica brasileira nas finanças do Estado.

Na ocasião, Valderli ressaltou que, no período eleitoral, o governador teria assegurado que os trabalhadores retornariam para as estruturas do governo do Estado. No entanto, Bernardo disse que José Melo não cumpriu com a promessa no momento em que afirmou que os vigilantes serão substituídos nos próximos dias por agente de portarias.

O sindicalista destaca ainda que a decisão do governador, além de causar as demissões de quatro mil vigilantes, implicará no aumento da criminalidade, uma vez que o novo quadro de servidores que substituirão os vigilantes não está capacitado para exercer a função.

“O sindicato é contrário a essa decisão. Não podemos concordar com essa medida, que irá deixar desamparados pelo menos quatro mil pais de famílias. Durante as eleições, ele garantiu que os vigilantes não seriam afetados e que todos ficariam nos seus postos, em contrapartida, hoje ele anuncia a substituição dos vigilantes por agente de portarias que não são capacitados para essa função, uma vez que não trabalham equipados com armamentos. Isso aumentará a insegurança na cidade, será um caos social sem a segurança pública”, frisou.

manifestação vigilantes 1 - Ione Moreno

Valderli salientou que ainda na manhã de hoje, representantes da categoria entrariam com uma ação judicial contra o governo do Estado, no intuito de impedir que as demissões sejam realizadas.

Durante o anúncio sobre as demissões, o governo do Estado informou também que a meta de revisar e cortar gastos no custeio com despesas afetará também os serviços de limpeza e conservação, passagens e diárias e transporte. A expectativa é gerar uma economia da ordem de R$ 600 milhões em um ano.
Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir