Economia

Vigilantes paralisam atividades em frente à Vila Olímpica por salários atrasados

O ato ocorre em frente à Fundação Vila Olímpica (FVO), localizada avenida Pedro Teixeira,  bairro Dom Pedro , Zona Oeste da capital - foto: Asafe Augusto

O ato ocorre em frente à Fundação Vila Olímpica (FVO), localizada avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro , Zona Oeste da capital – foto: Asafe Augusto

Um grupo de vigilantes da empresa Amazon Securit, que presta serviços terceirizados para o governo do Estado em órgãos públicos, paralisaram suas atividades na manhã desta quinta-feira (11) por falta de pagamento. O ato ocorre em frente à Fundação Vila Olímpica (FVO), localizada avenida Pedro Teixeira,  bairro Dom Pedro , Zona Oeste da capital.

De acordo com o diretor sindical do Sindicato dos Vigilantes do Estado do Amazonas (Sindevam), Ângelo André, a categoria exige o pagamento de um mês de salário atrasados. “Os vigilantes só querem receber o que tem direito, mas os empresários se fazem de cego. Ficamos indignados como os profissionais são tratados de forma arbitrária e grosseira”, afirmou.

Ainda com informações de sindicalista, os empresários alegam que o governo do Estado não repassa há mais de seis meses os recursos acordados através de licitação.

Os vigilantes prometem inicialmente paralisar somente três postos de trabalho, que funcionam na Vila Olímpica de Manaus.

“Nós vamos parar inicialmente somente três postos de trabalhos, que são atendidos por 60 seguranças. Caso a reivindicação da categoria não seja aceita, nós vamos paralisar todos os postos que prestam serviços para o Estado”, contou o Ângelo André.

O advogado da empresa Amazon Securiy Thiago Barbosa, alegou que o sindicato está a par da situação. De acordo com Barbosa, o governo não tem repassado a verba referente aos contratos e com isso inviabilizado o pagamento dos funcionários.

“A situação está assim desde janeiro do ano passado, já ocorreram reuniões com representantes do governo e até o próprio governador, mas a resposta é sempre a mesma, não tem dinheiro para pagar”, complementa.

Ainda segundo o advogado, a empresa já ingressou com uma denúncia no Ministério Público do Trabalho (MPE), e está aguardando a notificação.

Em nota,  a FVO informou que o atraso nos vencimentos dos vigilantes é de apenas seis dias,  e que a responsabilidade do pagamento dos salários é da empresa prestadora do serviço que os contratou.

O comunicado finalizou  dizendo que a FVO já está tomando todas as providências, junto à Secretária de Estado da Fazenda (Sefaz), para a liberação dos recursos.

Por Mairkon Castro (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir