Economia

Vigilantes aprovam greve para a próxima semana

o indicativo de greve será publicado na segunda-feira (1º) e após o prazo legal de 48 horas - foto: Ione Moreno

o indicativo de greve será publicado na segunda-feira (1º) e após o prazo legal de 48 horas – foto: Ione Moreno

Os vigilantes que prestam serviço terceirizado para diversos órgãos do município e do Estado aprovaram durante assembleia geral, indicativo de paralisação da categoria. Eles reivindicam aumento salarial de 10,39% e deram prazo até a próxima a próxima terça-feira (2) para que o Sindicato das Empresas de Segurança, Vigilância e Transportes de Valores e Curso de Formação do Estado do Amazonas (Sindesp-AM) se manifestem sobre o pleito dos vigilantes.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Vigilantes, Valdeli Bernado, o Sindesp ofereceu aumento de 6% no salário anual e o mesmo porcentual no tíquete de alimentação para os vigilantes, no entanto, a proposta foi recusada pela categoria durante a assembleia.

“O valor é muito baixo. Mesmo tendo um porcentual no ticket de alimentação, a proposta não agradou a categoria, que recusou a proposta. A categoria quer o reajuste do no salário de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Hoje ainda não está fechado, mas o aumento representa 10,39% em nosso salário”, explicou Valdeli.

Conforme o presidente do Sindicato dos Vigilantes, o indicativo de greve será publicado na segunda-feira (1º) e após o prazo legal de 48 horas – prazo constitucional para tornar a greve legal – os trabalhadores irão suspender as atividades.

Os vigilantes realizaram duas manifestações no Centro da cidade nas duas últimas semanas para chamar atenção quanto ao pleito salarial da categoria.

A primeira foi realizada no último dia 15. A ação foi marcada por confronto entre os vigilantes e a Polícia Militar após o grupo fechar a agência do Banco Bradesco, na avenida Eduardo Ribeiro. Na segunda, ocorrida na sexta-feira (22), o grupo realizou um “panelaço” em frente à Superintendência do Banco do Brasil, localizada na Rua Guilherme Moreira.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir