Sem categoria

Vigilante é assassinado a tiros dentro do complexo da Infraero, em Manaus

O vigilante que atuava prestando serviço a segurança patrimonial da Infraero foi morto com cinco tiros - foto: divulgação

O vigilante que atuava prestando serviço de segurança patrimonial da Infraero foi morto com cinco tiros – foto: divulgação

O vigilante Antônio de Oliveira Pinto Júnior, 40, foi assassinado a tiros, na noite dessa terça-feira (3), durante o serviço nas dependências da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), na avenida Santos Dumont, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus. Os assassinos são dois homens, não identificados. Eles roubaram o carro de Antônio, um Celta preto de placa NOT-0751, e depois atearam fogo.

O carro foi abandonado pelos criminosos na rua Canoa Quebrada, no loteamento Parque Rio Solimões, bairro Tarumã. Um outro veículo, não identificado, dava apoio aos bandidos, informou a polícia.

Policiais militares da 20ª Cicom encontraram o corpo do vigilante na Torre 4 do prédio com marcas de tiros - foto: divulgação

Policiais militares da 20ª Cicom encontraram o corpo do vigilante na Torre 4 do prédio com marcas de tiros – foto: divulgação

Policiais militares da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) localizaram o corpo ao receberem denúncia anônima sobre dois homens que incendiaram o carro. Moradores conseguiram apagar o fogo. Dentro do veículo foi encontrada o Registro Geral de Antônio. Uma lona suja de sangue estava no porta-malas. Os policiais descobriram o telefone da casa dele e entraram em contato com a mulher do vigilante. Ela informou que ele estava no trabalho. O corpo de Antônio estava no chão do prédio da Torre 4.

A polícia suspeita que o crime ocorreu por volta das 22h. Antônio foi morto com cinco disparos. O revólver dele e a aliança também haviam sido roubados. O vigilante morava no bairro Novo Israel, Zona Norte, e, trabalhava como vigilante por uma empresa terceirizada. O corpo do vigilante foi removido para o Instituto Médico Legal (IML).

Em nota, a Infraero informou que o vigilante atuava em uma área patrimonial da empresa pública, próximo ao aeroporto ‘Eduardinho’. A Infraero aguarda mais informações da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS) que abriu inquérito para apurar  o caso.

Por Josemar Antunes

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir