Eleições 2016

Vídeo mostra crianças distribuindo santinhos em Presidente Figueiredo; defesa nega e fala em armação

O advogado de defesa do prefeito, Ricardo Gomes, que negou o caso e afirmou que a produção do conteúdo pode fazer parte de uma estratégia do grupo político adversário - foto reprodução

O advogado de defesa do prefeito, Ricardo Gomes, que negou o caso e afirmou que a produção do conteúdo pode fazer parte de uma estratégia do grupo político adversário – foto reprodução

Duas crianças foram supostamente flagradas em um vídeo onde aparecem distribuindo santinhos e portando uma bandeira do candidato à reeleição, Neilson Cavalcante (PSB), no município de Presidente Figueiredo. O conteúdo ganhou repercussão nas redes sociais e gerou polêmica na cidade das cachoeiras nesta quinta-feira (29). A defesa do candidato, que foi acusado de utilizar a mão-de-obra infantil na campanha, informou a equipe do portal Em Tempo que o vídeo foi produzido intencionalmente por cabos eleitorais dos candidatos adversários do atual prefeito.

Vídeo

O vídeo com duração de apenas 12 segundos mostra duas crianças e um adolescente, supostamente na estrada de Balbina, no último domingo (25), com a bandeira de Neilson. Ao serem questionados por um homem – não identificado – em um veículo, os garotos entregam dois materiais de propaganda eleitoral (‘santinhos’) da coligação ‘Todos por Figueiredo’. O adolescente – que está com parte do rosto coberto por uma faixa – apenas acompanha a abordagem.

Defesa

A reportagem entrou em contato com o advogado de defesa do prefeito, Ricardo Gomes, que negou o caso e afirmou que a produção do conteúdo pode fazer parte de uma estratégia do grupo político adversário – que tenta derrubar o trabalho de Neilson Cavalcante antes da votação, no próximo domingo (2).

“Veja bem, Hitler matou três alemães e colocou culpa na Polônia para invadir e dominar o país. No meu ponto de vista, nada é por acaso. Ontem mesmo fizeram uma apreensão de pick up, registrada na coligação de um candidato, com santinho e galões que seriam distribuídos aos eleitores. Isso foi um fato, não uma informação qualquer que nem foi levada ao conhecido do Tribunal Eleitoral do Amazonas. Se eu flagro um crime eleitoral, eu levo direto ao tribunal e não para a imprensa. Nesse caso, eu não tenho que provar que fiz e sim a pessoa que supostamente fez”, relatou o advogado.

Crime

A suposta denúncia ainda não foi registrada na 51ª Zona Eleitoral de Presidente Figueiredo. Segundo a juíza da propaganda eleitoral, Lídia Frota, os crimes eleitorais envolvendo crianças são verificadas segundo a legislação trabalhista que veda a o trabalho infantil. A constituição brasileira é clara: menores de 16 anos são proibidos de trabalhar, exceto como aprendizes e somente a partir dos 14.

“É vedada a contratação de crianças como cabos eleitorais de acordo com a legislação trabalhista em vigor”, disse ela sem comentar o caso já que o TRE não foi informado oficialmente.

“Jamais Neilson como pai, como um cara que mora no município, o Neilson que tem um filho de cinco anos, concordaria com esse tipo de crime. Isso eu posso afirmar por ele”, disse o advogado defesa.

Por Bruna Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir