Política

Vereadora propõe pregação em terminais de ônibus em Manaus

Vereadora Pastora Luciana quer de volta os “pregadores” nos terminais de ônibus da capital. Projeto tramita na Câmara Municipal - foto: divulgação

Vereadora Pastora Luciana quer de volta os “pregadores” nos terminais de ônibus da capital. Projeto tramita na Câmara Municipal – foto: divulgação

Com o intuito de fortalecer a liberdade de expressão e trazer de volta as manifestações religiosas, seja por meio de palestras ou pregações, a vereadora Pastora Luciana (PP), protocolou nesta segunda (11), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o Projeto de Lei nº 121/2015 que dispõe sobre a utilização dos terminais de ônibus de Manaus para realizar pregações religiosas.

A proposta, segundo a vereadora, partiu após ter sido procurada por líderes religiosos, os quais pediram apoio, uma vez que “estão tendo esse direito cerceado devido à resolução do ‘Silêncio Excepcional’, de N°025/2012, do Conselho Municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente (Comdema), onde foram denominados como zonas sensíveis de ruídos os postos de combustíveis, terminais de ônibus, além do interior dos veículos de transporte coletivo em geral”, entre outros.

Segundo a parlamentar a medida coibiu principalmente a atuação de pregadores.

Na proposta apresentada por Luciana, os pregadores devem permanecer de forma transitória nos terminais de ônibus e deverão estar credenciados por sua igreja local, com nome e cargo eclesiástico. O projeto prevê ainda, o direito de aceitar “contribuições pecuniárias”, desde que de forma voluntária da população.

Os critérios para a apresentação dessas atividades, não foram citados no projeto, como altura de som, presença ou não de caixa de som ou amplificador, mas a vereadora defendeu que essas questões não são as mais importes. “O importante é levar a palavra de amor, seja na voz mesmo, ou através de uma caixinha de som com volume aceitável e sem incomodar as pessoas”, destacou Pastora Luciana.

A reportagem foi em um dos terminais de integração da cidade ouvir a população que transita nesses locais para saber a opinião sobre o projeto apresentado pela vereadora. A maioria acredita que será uma boa iniciativa.

Usuários se dividem

As donas de casa, Elizandra Ferreira, 23, e Joelma Coimbra, 42, que passam diariamente pelo terminal 1 da Constantino Nery acharam a iniciativa boa. “A gente é obrigado a conviver com pessoas que usam drogas, cigarro, então porque não conviver com a palavra de Deus”, defendeu Coimbra.

“É muito bom ouvir a palavra de Deus. Muitos não irão parar para escutar, mas outros irão ouvir”, comentou Elizandra.

A autônoma Cláudia Dourado, 26 também concorda com a proposta que com tanta violência é importante ter alguém falando sobre o amor de Deus. “É a palavra de Deus sendo propagada. Isso é muito bom. Estamos vivendo com tanto violência, então é bom ouvir a palavra”, defendeu.

O único dos entrevistados que discordou do pensamento dos demais foi José Aldenízio de Lima, que trabalha com refrigeração. Segundo ele, as pessoas que estão nos terminais de ônibus, geralmente estão exaustos e loucas para chegarem em suas residências.

Ele defende que buscar Deus é bom sim, mas em local próprio para isso. “Não acho um projeto bom não, porque muitas vezes a pessoa está exausta, querendo ir para casa e muitas vezes está com pressa. Então eu acredito que deva ter um local próprio para isso. Pois esse tipo de pregação nos terminais acho que será em vão”, pontuou.

O projeto ainda vai tramitar nas Comissões e caso seja aprovada passará para votação dos demais vereadores em plenário.

 

 

Por Moara Cabral Jornal EM TEMPO

2 Comments

2 Comments

  1. Anderson A.

    12 de maio de 2015 at 12:47

    Hoje em dia a maioria dos políticos criam leis sem nenhum critério técnico que causam discórdia, pois se cada denominação religiosa e/ou resolve pregar teríamos dezenas ou até centenas de pregadores dentro dos terminais de diferentes religiões e denominações. Eu duvido se existe algum político que faça uma lei para deixar seu salário igual a de um industriário. que consiga viver sem tanta barganha que nem a massa trabalhadora. O desafio está lançado.

  2. costa

    12 de maio de 2015 at 08:33

    Bom dia

    Essa pastora e muito fraca, com isso ela esta colocando em risco a populaçao que vai ficar destraida com os gritos dos evangelicos e vai facilitar o ladrao, vai trabalhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir