Política

Vereador e coordenador da Defesa Civil se envolvem em confusão na Câmara Municipal de Iranduba

A briga entre o vereador e o coordenador da defesa civil aconteceu no corredor – Divulgação

Durante uma solenidade em homenagem às mulheres, nesta sexta-feira (17), houve uma confusão e suposta agressão e ameaça de morte envolvendo um vereador e o coordenador da Defesa Civil de Iranduba (distante a 27 km de Manaus), dentro da Câmara Municipal. O evento chegou a ser encerrado antes do previsto devido à desordem no local.

De acordo com testemunhas, o clima de tensão tomou conta da sessão solene. “Ninguém entendeu nada, só ouvimos os gritos dos dois brigando”, relatou um servidor público, que preferiu não se identificar. A discussão ocorreu no corredor que dá acesso aos gabinetes.

B.O registrado na delegacia de Iranduba

Cleuson  Carneiro de Oliveira, coordenador da Defesa Civil do município, garantiu que foi agredido com um soco no queixo pelo vereador George Reis ao ir à Câmara, onde participaria do evento.

“Eu estava conversando com um outro vereador quando este senhor me abordou e começou a me ofender, dizendo que era para eu parar de intimidá-lo. Entretanto, eu nunca fiz nada para ele e cheguei a dizer que não queria confusão, mas ele disse que iria ver meus processos e jogar nas redes sociais. Fiquei muito surpreso e deixei claro que não tinha processo algum e nada contra ele. Ele continuou falando um monte de coisa e veio para cima de mim”, declarou o coordenador da Defesa Civil municipal.

Ainda segundo Carneiro, o parlamentar continuou discutindo e desferiu o golpe no queixo. “Mesmo sem ter ficado com hematomas, foi forte porque eu cheguei a perder os sentidos. Parecia que ele queria que eu o agredisse, que revidasse. Sai de lá e fui registrar o Boletim de Ocorrência na delegacia”, relatou Cleuson.

Ainda segundo o coordenador, George Reis teria dado voz de prisão para ele por desacato a autoridade ainda dentro da Casa Legislativa.

A reportagem entrou em contato com o vereador denunciado que relatou ser falsa toda a versão apresentada pelo coordenador. Segundo ele, Cleuson faz parte de oposição do atual prefeito, Chico Doido, que tem sido denunciado por ele na Câmara.

“É tudo mentira. Eu estava lá na Câmara quando fui abordado por este homem, que me desafiou e tentou me intimidar. Em nenhum momento toquei nele. Três vereadores da Casa são minhas testemunhas e viram quando ele me peitou e me empurrou, mas não houve agressão. Eu sou do grupo de oposição e estou denunciado a farra das gratificações na Prefeitura Municipal. Dizem que a gestão está no vermelho, mas os servidores públicos estão recebendo gratificações de até 100%. Inclusive, o Cleuson recebeu 68% de gratificação”, declarou Reis, que contou que foi ameaçado de morte.

A confusão foi registrada na 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Iranduba e a polícia vai investigar o que realmente aconteceu dentro da Câmara Municipal. Os dois envolvidos e os vereadores, que foram testemunhas do caso, foram ouvidos pelo delegado Antônio Chicre Neto ainda pela manhã. O caso foi levado à Justiça e deve ser esclarecido no próximo dia 27, às 9h20, durante uma audiência no Juizado Especial Criminal da Comarca.

Bruna Souza

EM TEMPO

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top