Economia

Vendas para o Carnaval começam a ‘esquentar’

Fantasias para crianças têm sido um dos produtos carnavalescos mais procurados, nesta época do ano. Além disso, roupas de heróis atraem o gosto dos adultos também – Janaílton Falcão

As vendas de artigos de Carnaval deverão ficar aquecidas, a partir do próximo dia 5, na avaliação de lojistas de Manaus. Apesar do aquecimento, não haverá novas contratações a menos de um mês para a data festiva.

De acordo com a gerente Fátima Brito, do armarinho Manoela, na rua Henrique Martins, Centro, a procura pelos itens de Carnaval já é grande, porém, ela explicou que as vendas devem aquecer mais, a partir do dia 5.

Apesar do otimismo, Fátima explicou que, no momento, não pretende fazer novas contratações de imediato. No entanto, ela ressaltou que, dependendo do comportamento do comércio, nos próximos dias, o estabelecimento comercial poderá abrir espaço
para vendedores.

Procura

Entre os itens mais solicitados pelos consumidores, a gerente explicou que as fantasias de heróis e de princesas têm uma grande procura por parte das crianças e os adultos levam um material mais sofisticado e completo. Segundo a gerente, os consumidores podem encontrar preços nos materiais a partir de R$ 40 e poderão efetuar o pagamento à vista e no cartão parcelado.

Fátima Brito explicou que os consumidores que não puderem comprar uma fantasia completa poderão receber dicas dos funcionários da loja para montar uma fantasia com assessórios disponíveis na loja. “Temos clientes exigentes, que gostam de montar uma fantasia completa, mas a crise pode afetar o bolso desses consumidores e, para economizar, nossos vendedores estarão preparados para dar as dicas necessárias para construir um item carnavalesco”, disse.

Expectativa

Reafirmando o posicionamento de vários lojistas, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), Ralph Assayag, explicou que o período de Carnaval não surtirá novas contratações.

Segundo ele, o comércio local deverá se comportar de forma que mantenha o volume de vendas deste ano igual ou menor que o do ano passado. Assayag disse, ainda, que como todos enfrentam dificuldades, os comerciantes deverão manter os valores dos produtos congelados.

Ainda segundo o presidente da CDL-Manaus, as próprias escolas de samba, que são as que mais compram o material vão ter que fazer redução de preços, por não ter recursos
para o investimento.

“Estamos lutando para que as vendas sejam iguais às do ano passado. O mês de janeiro tem sido difícil. Os primeiros 15 dias foram dramáticos e esperamos que as vendas melhorem”, disse o empresário.
O presidente da CDL-Manaus explicou, ainda, que os consumidores locais estão fazendo suas economias e estão reduzindo as compras de itens voltados para a data festiva.

Estimativa de crescimento

A funcionária Elzira dos Santos, da empresa LN Festas, na rua Guilherme Moreira, Centro, disse que as vendas estão ainda devagar, mas ressaltou que a expectativa é que haja um crescimento, a partir da segunda semana do mês de fevereiro. Ela afirmou que a loja já fez contratações, em dezembro do ano passado.

Elzira disse, ainda, que espera que haja um crescimento na venda de 10%, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo ela, os consumidores poderão levar os itens com pagamentos à vista e no cartão de débito ou crédito parcelados em até três vezes, em valores a partir de R$ 10.

O gerente da Importadora Façanha Belstar, na rua Guilherme Moreira, Centro, que pediu para não ter o nome divulgado, explicou que o movimento nas vendas deverá iniciar, a partir do dia 5 de fevereiro.

Sobre os valores nos produtos carnavalescos, o gerente disse que os consumidores podem encontrar itens a partir de R$ 3, como máscaras e fantasias, e ainda poderão pagar à vista, no cartão de crédito e descontos que podem chegar a 5%. “O movimento ainda está fraco”, disse o lojista.

Henderson Martins
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir