Cultura

Velório de Miele reúne parentes, amigos e fãs na Câmara Municipal do Rio

O velório de Miele, na Câmara Municipal do Rio, foi aberto ao público. foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O velório de Miele, na Câmara Municipal do Rio, foi aberto ao público. foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O corpo do ator, diretor e produtor Luiz Carlos Miele foi velado hoje (15), na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, no centro da capital fluminense. O velório do artista foi aberto ao público e, desde as 7h, centenas de pessoas, entre parentes, amigos e fãs, prestaram as últimas homenagens. O enterro está previsto para as 16h, no Cemitério do Caju, na zona portuária.

Estiveram no local as atrizes Fernanda Torres, Mariana Ximenes, o cantor Roberto Carlos – para quem Miele dirigiu mais de uma dezena de shows – e o ator Osmar Prado, que também conviveu com o produtor.

“Ele era um multitalento, como cantor, como compositor, um showman, lamento que a gente fique um pouco mais pobre de grandes artistas”, disse Prado. “Saio daqui vendo o sorriso do Miele, vendo sua classe como artista. Quem traz alegria para esse povo tão carente como o nosso merece um lugar muito legal, seja lá onde for”, completou.

A cabeleireira Cristiane de Magalhães ressaltou a generosidade de Miele na assistência à mãe dela, a cozinheira Elza de Magalhães, que trabalhou na casa do artista. “Devo muito a ele, que não via raça, pobreza nem nada. Tratava todos os funcionários muito bem”, disse. “Ele e a esposa me ajudaram muito quando minha mãe esteve internada”, contou.

O cantor Simoninha, cujo pai, Wilson Simonal, também foi dirigido por Miele, destacou a importância do artista para música brasileira, ao lado de parceiros como Ronaldo Bôscoli e Elis Regina. “É difícil ter gênios o tempo todo dessa magnitude. Aqui termina um capítulo da história que ele participou junto com seus parceiros”, disse.

Carlos Miele morreu ontem (14) aos 77 anos, após sofrer um mal súbito em casa, em São Conrado, zona sul do Rio. O corpo foi encontrado no chão pela mulher dele, Anita Miele. O artista já estava morto quando os bombeiros do quartel da Gávea chegaram ao local.

Luiz Carlos Miele foi locutor das rádios Nacional do Rio de Janeiro e Tupi, na década de 1950, antes de seguir carreira na televisão. Miele também foi ator de cinema. Na TV, trabalhou na produção de atrações como o programa Fantástico, da TV Globo, de novelas e de seriados.

 

Por Agencia Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir