/* */
Sem categoria

Vazante do rio Negro deverá ser histórica, aponta SNPH

No mesmo período do ano passado, o rio Negro atingia a cota de 29,61 metros, segundo a SNPH, ocasião em que ficou estavél por três dias - foto: Ione Moreno

No mesmo período do ano passado, o rio Negro atingia a cota de 29,61 metros, segundo a SNPH, ocasião em que ficou estavél por três dias – foto: Ione Moreno

Há três dias mantendo a cota de 27,18 metros, o rio Negro pode atingir, este ano, mais uma vazante histórica, conforme informou o chefe do Serviço de Hidrologia do Porto de Manaus (SNPH), Valderino Pereira. Segundo ele, o rio Negro se mantém estabilizado, desde o último sábado (18), quando não desceu e nem subiu nenhum centímetro do volume, o que mostra a proximidade do início da vazante deste ano.

“Para podermos afirmar, de fato, que estamos no período da vazante é necessário aguardar a próxima semana e acompanhar o comportamento do rio. Até o momento, a situação do rio é considerada normal, em anos anteriores ele também ficou estável e manteve a mesma conta por dias, antes de iniciar a vazante. Estamos realmente no período de iniciarmos a vazante, mas, por enquanto, não podemos afirmar que o fenômeno teve início, precisamos continuar acompanhando as medições dos próximos dias para ver o que realmente vai ocorrer”, explicou.

Conforme Valderino, no mesmo período do ano passado, o rio Negro atingia a cota de 29, 61 metros, ocasião em ficou estável por três dias. Ainda segundo ele, somente as cotas dos meses de outubro e novembro poderão dar uma melhor avaliação sobre a possibilidade de uma nova vazante histórica. “Ainda é cedo para opinar, mas a gente fica preocupado em saber que o rio começou a dar os primeiros sinais de vazante, com quase um metro de diferença do ano no qual foi registrada a maior vazante do Negro. Vamos esperar para ver o que os próximos dias vão nos revelar”, avaliou.

De acordo com o monitoramento da Gerência de Hidrologia e Gestão Territorial da Superintendência de Manaus do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), ainda é cedo para falar de magnitude da vazante em 2016. Com relação à cheia no Estado, a previsão é de que não haverá um evento cíclico.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir