País

Vazamento de gás no Guarujá provoca nuvem gigante de fumaça no litoral de SP

explosao no Guaruja-colaborar AET

A fumaça, que chegou a Santos, pode ser vista a quilômetros de distância. Moradores do Guarujá relatam que a fumaça provocou náusea e dores de cabeça – foto – colobarador AET

 

Um vazamento de gás de grandes proporções, seguido de pequenos incêndios, atinge desde o final da tarde desta quinta-feira (14) o pátio de cargas da empresa Localfrio, de armazenagem de contêineres, no Guarujá, no litoral de São Paulo.

Segundo a assessoria de imprensa da empresa, houve, por volta das 15h30, uma reação química entre um produto conhecido como ácido dicloroisocianurato de sódio, que estava armazenado, e água, que invadiu o contêiner, causando a fumaça.

A empresa não soube dizer se o material é perigoso, mas afirmou, por volta das 18h desta quinta-feira, que o vazamento estava controlado, embora a fumaça ainda fosse visível.

A Localfrio afirmou ainda que apenas um colaborador apresentou sinais de incômodo com o produto e foi encaminhado para um hospital. Não há feridos, de acordo com a assessoria.

A fumaça, que chegou a Santos, pode ser vista a quilômetros de distância. Moradores do Guarujá relatam que a fumaça provocou náusea e dores de cabeça.

Segundo a assessoria da empresa de serviços portuários e logísticos Santos Brasil, que é vizinha à Localfrio no Guarujá, o Plano de Auxílio Mútuo do porto foi acionado.

Espécie de plano de contingência, o plano conta com a participação da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, órgãos ambientais municipais e estaduais e empresas para definir ações rápidas em caso de incidentes de grandes proporções.

As atividades das empresas vizinhas foram suspensas por precaução. No porto de Santos, também próximo ao local do incêndio, os trabalhos não foram interrompidos.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir