Cultura

Vasta programação cultural movimenta o fim de semana em Manaus

Imagens da fotógrafa Ruth Jucá estão em exposição no Palácio da Justiça- foto: divulgação/ Ruth Jucá

Imagens da fotógrafa Ruth Jucá estão em exposição no Palácio da Justiça- foto: divulgação/ Ruth Jucá

Que tal fazer uma degustação de chás diferente? Participar de uma oficina de reciclagem? Curtir a saga ‘Star Wars’ e ‘Jurassic Park’? Ir à exposição ‘Memórias da Loucura’? Curtir pinturas e esculturas na exposição ‘Conexões’? Essas são algumas das opções para ‘respirar’ cultura neste fim de semana, fomentadas pelo poder público estadual.

No Museu do Homem do Norte, por exemplo, acontece, durante as visitações, a ‘Degustação de Chás com Ervas Nativas’, desde as mais conhecidas como erva cidreira que controla a ansiedade até as mais exóticas como cipó de miraruíra que equilibra a taxa de glicose no sangue. O museu funciona das 9h às 16h, de segunda à sexta-feira, dentro do Centro Cultural Povos das Amazônia (Praça Francisco Pereira da Silva, Distrito Industrial).

No Usina Chaminé, situada na avenida Lourenço Braga – ‘Manaus Moderna’ – Centro, acontece das terças às sextas-feiras, 9h às 16h, apresentações de painéis com lendas amazônicas, além de muita interação com brincadeiras e atividades lúdicas, pintura e leitura e até exibição de filmes e desenhos.

Para admiradores da fotografia e aos que buscam inspiração nesse ramo, está aberta a exposição ‘O Que Nos Move’, da fotógrafa Ruth Jucá, que retrata movimentos de corpos em volta da dança, composta por 31 imagens.

A mostra tem como foco os principais bailarinos do Amazonas e do exterior, como o russo Mikhail Nikolaévich Baryshnikov e o amazonense Marcelo Mourão. A exposição está no Centro Cultural Palácio da Justiça, localizado na Avenida Eduardo Ribeiro – Centro, de terça à sexta-feira, das 9h às 16h, e aos domingos, das 9h às 13h.

Já no Museu Casa Eduardo Ribeiro, há visitação guiada aos ambientes cenográficos com decoração de época, além de exposição permanente que conta a vida e obra do governador Eduardo Gonçalves Ribeiro, da Família Bretislau de Castro e a História da Medicina no Amazonas, e o acervo textual e documental digitalizado de caráter pessoal e profissional do governador Eduardo Ribeiro. O museu está situado na Rua José Clemente, 322- centro histórico, com funcionamento de terças às sextas- feiras, das 9h às 16h, e aos domingos das 9h às 13h, com entrada gratuita.

Outra opção é a Casa das Artes, com a exposição ‘Conexões’, que traz duas visões, duas técnicas e uma só conexão: as artes plásticas com pinturas de Iva Tai e esculturas de Eliomar Rodrigues.

A exposição está aberta das terças às sextas-feiras, das 18h às 21h, e aos sábados e domingos das 17h às 21h, na rua José Clemente, 564 – Centro, largo São Sebastião.
Próximo à Casa das Artes, no Centro de Artes Visuais da Galeria do Largo, localizado na rua Costa Azevedo, nº 290, também é possível conferir a exposição ‘Memórias da Loucura’, que contém as imagens que ‘falam aquilo que a razão não diz’, produzidas pelos usuários do serviço de saúde mental em regime asilar do Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro. A exposição está aberta no – Centro, das 17h às 21h, de terça a domingo.

Viagem no palacete

Quem já ouviu falar na saga ‘Star Wars’ e no filme ‘Jurassic Park’ e ainda não teve a oportunidade de assisti-los ou quer revê-los, tem essa oportunidade no Museu da Imagem e do Som, de terça à sexta-feira, das 10h às 12h e de 13h às 15h, com exibição gratuita. No local, ocorre também a ‘Mostra Silvino Santos’ que retrata, entre filmes e fotografias, um olhar pioneiro sobre a Amazônia no período da borracha.

Após assistir aos filmes e conferir a mostra, o visitante encontra no hall do Palacete Provincial a exposição ‘Cinema em Papel’, do artista Ricardo de Jesus, composta por dobraduras que fazem referência à saga Star Wars e ao filme Jurassic Park, dois filmes campeões de bilheteria.

O Palacete Provincial, que abriga também o Museu Tiradentes e o Museu de Arqueologia, está localizado na avenida Sete Setembro, s/n° – praça Heliodoro Balbi – Centro. Os espaços para a visitação são guiados e funcionam no horário das 9h às 16h, de terças as sextas-feiras e aos sábados, das 9h às 13h.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir