Sem categoria

Vasco vence Flamengo, vai à final e amplia para nove jogos tabu sobre rival

O time de São Januário completou 22 partidas invicto e chega com moral para buscar o bicampeonato estadual - foto: Ricardo Oliveira

O time de São Januário completou 22 partidas invicto e chega com moral para buscar o bicampeonato estadual – fotos:  Ricardo Oliveira

 

Aos gritos de: “não é mole não, a arena é a casa do Vascão”, o time Cruz-Maltino venceu o Clássico dos Milhões por 2 a 0 na tarde de ontem (24) na arena da Amazônia. A vitória sobre o Flamengo foi construída com gol de Andrezinho e gol contra de Wallace. O resultado positivo garantiu a vaga na final do Campeonato Carioca. Agora, o Vasco encara o Botafogo no próximo domingo (1).

Como não poderia deixar de ser, o Clássico dos Milhões começou quente. Com dois minutos de jogo, Nenê e Wallace trocaram empurrões e o clima fechou. Após acalmar os ânimos, o árbitro da partida, Leonardo Cavaleiro (RJ) amarelou os dois jogadores.

Aos 10 minutos do primeiro tempo, o Vasco chegou pela primeira fez ao ataque. O lateral Jorge tentou inverter a bola e deu nos pés de Jorge Henrique que armou o contra-ataque. Em velocidade, a bola chegou a Júlio César que cruzou, mas a bola passou por todos.
Com apoio da sua torcida, o Flamengo chegou ao ataque aos 13 minutos quando Guerrero recebeu lançamento de Rodinei e ajeitou de peito para Mancuello, que finalizou fraco à esquerda de Martin.

Dois minutos depois, o Rubro-Negro chegou novamente com perigo, mas Willian Arão não conseguiu cabecear corretamente. O jogo era bom e muito movimento. Aos 16 minutos, Riascos foi lançado na direita, passou por Cuellar e cruzou para Nenê, que de primeira, finalizou por cima da meta de Paulo Victor.

Aos 22 minutos, o Vasco abriu o marcador com Andrezinho. A jogada começou no meio-campo com Nenê. O camisa 10 lançou Riascos na ponta esquerda. O camisa 9 dominou, driblou César Martins duas vezes, deixando o flamenguista no chão e cruzou para Nenê. O craque do Vasco, livre na grande área, tirou de Paulo Victor, porém, com muita coragem, Wallace meteu o corpo e evitou o gol. Todavia, no rebote, a bola sobrou para Andrezinho que encheu o pé para fazer a alegria da torcida vascaína.

Precisando da virada, o Flamengo teve que ir para cima. Aos 26 minutos, Guerrero recebeu próximo da meia lua e colocou com categoria no canto esquerdo, mas Martin Silva espalmou para escanteio. No minuto seguinte, Rodinei cruzou com perigo, a bola passou pela frente da meta vascaína, mas não encontrou nenhum pé que a encostasse para o gol.

Com a vantagem no marcador, o Vasco recuou para sair nos contra-ataques. Assim, o Flamengo passou a ter maior posse de bola na partida. Porém, pecando pela displicência na hora do passe final, o Rubro-Negro parava na forte defesa adversária.

Aos 41 minutos, a melhor opção do Flamengo no primeiro tempo, o lateral Rodinei chegou a linha de fundo e cruzou rasteiro, porém, mais uma vez, o atacante Guerrero chegou atrasado e a bola passou direto pela área Cruz-Maltina.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Vasco teve uma grande chance para ampliar o marcador. Pressionado na defesa, Júlio César chutou para frente sem pretensão, porém, ela parou em Jorge Henrique que avançou até a grande área, tocou para Nenê que chegava pelo meio. Marcado, o camisa 10 rolou para Riascos que se complicou na hora de finalizar e perdeu a grande chance.

Falhas

Não satisfeito com o setor ofensivo de sua equipe, o técnico Muricy Ramalho voltou para o segundo tempo com Alan Patrick no lugar de Gabriel. Outra mudança pedida aos jogadores era a atitude.

Logo nos primeiros segundos da segunda etapa, Willian Arão experimentou de longa distância, obrigando Martin Silva a espalmar para a lateral. O volante mostrava que vontade não faltaria. Três minutos depois, ele arriscou da meia-lua, mas a bola subiu muito e parou na torcida.

Recuado demais, o Vasco passou a ser bastante pressionado. Em determinados momentos, o time alvinegro apelou para as faltas como alternativa para evitar os ataques adversários.
Aos 10 minutos, o Vasco chegou pela primeira vez. Em falta da intermédia, Rodrigo obrigou Paulo Victor a pular para encaixar a bola.

Mas, quando a fase não é boa, tudo começa a dar errado. Seguindo a velha máxima do futebol, aos 12 minutos o Vasco ampliou o marcador com gol contra de Wallace. A jogada começou com Andrezinho na esquerda que achou Riascos na grande área. O atacante finalizou forte. Paulo Victor se esticou e defendeu, mas a bola tocou em Wallace e morreu na meta flamenguista.

Para fechar ainda mais a defesa Cruz_Maltina, Jorginho colocou Rafael Vez na vaga de Júlio César. Precisando de três gols para avançar para a grande final, Muricy Ramalho colocou Ederson no lugar de Willian Arão.

Aos 24 minutos, o Flamengo chegou com perigo. Após tabelinha com Mancuello, Alan Patrick finalizou colocado, mas Martin Silva espalmou tirando o perigo. No minuto seguinte, quem parou no uruguaio foi Guerreiro em forte finalização.

Perdeu a cabeça

Se a missão já era complicada, o meia-atacante Alan Patrick ainda piorou a situação do Flamengo. Mostrando descontrole, aos 34 minutos o jogador que tinha entrado no segundo tempo, foi expulso após acertar Júlio dos Santos por trás. Com o lance, muitos dos torcedores que lotavam a Arena começaram a ir embora, deixando a festa para o lado vascaíno.

Em casa

Após a partida, os jogadores do clube da Colina fizeram questão de ir até a torcida agradecer todo o apoio recebido nas últimas duas semanas em Manaus. Paredão vascaíno, o uruguaio Martin Silva mostrou felicidade ao falar do triunfo sobre o Flamengo e admitiu se sentir em casa jogando em Manaus.

“O Vasco está de parabéns por mais uma vitória. O grupo sabia que tinha tudo para vencer, acho justo o resultado final do confronto e o Vasco jogar essa final. Sempre tem um gostinho por ter sido diante do maior rival. Temos que parabenizar essa torcida. A gente pisa em Manaus e já nos sentimos em casa. Eles colaboram com muito carinho e conseguimos retribuir com duas vitórias em dois clássicos”, disse o goleiro.

Craque do time, o meia-atacante Nenê foi outro que afirmou ter sido importante o apoio da torcida durante os 90 minutos. Para o atleta, o Vasco se mante invicto há 22 jogos graças a força e união do elenco comandado pelo treinador Jorginho.

“É uma felicidade muito grande. A nossa força é a nossa união e determinação dentro de campo até o fim. Estou realmente feliz. Essa torcida maravilhosa nos apoiou desde a nossa chegada e conseguimos retribuir dentro de casa. Eles nos empurraram e saímos de campo classificados”, salientou o camisa 10.

Ficha Técnica

Vasco: 1 Martin Silva, 2 Madson, 4 Luan, 3 Rodrigo e 6 Júlio César (14 Rafael Vez); 5 Diguinho (13 Yago Pikachu), 8Julio dos Santos, 7 Andrezinho e 10 Andrezinho; 11 Jorge Henrique e 9 Riascos (17 Éder Luís). Tec: Jorginho

Flamengo: 48 Paulo Victor, 2 Rodinei, 3 César Martins, 14 Wallace e 6 Jorge; 26 Cuellar, 5 W. Arão (10 Ederson), 7 M. Cirilo (47 Felipe Vizeu), 23 Mancuello e 17 Gabriel (19 Alan Patrick); 9 Guerreiro. Tec: Muricy Ramalho.

Árbitro: Leonardo Cavaleiro (RJ)

Público Presente: 44.419
Renda: R$ 3.531.240,00

Amarelo: Vasco- Nenê, Martin Silva, Júlio César, Júlio dos Santos, Luan
Flamengo: Wallace, Cuellar, Cesar Martins, Rodinei

Vermelho: Alan Patrick

Por Thiago Fernando

VASCO-E-FLAMENGO-026-1024x641

VASCO-E-FLAMENGO-011-1024x678

VASCO-E-FLAMENGO-014-1024x735

VASCO-E-FLAMENGO-020-1024x682

1 Comment

1 Comment

  1. Emanuel Farias do Nascimento

    25 de abril de 2016 at 11:39

    Enquanto a arena lota pra vasco X Flamengo. O Mangueirão lota pra Remo X Paysandú. Quando os clubes vão acordar, essa F A F (Fraca)., esta enterrando o que ainda resta do futebol no amazonas. Se fosse uma temporada ou outra ainda se aceita, mas Desde que Esse D´ssica assumiu o futebol sumiu junto com ele , e a nossa esperança também. Incompetentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir