Esportes

Vasco fecha treinos e pune sócios que criticam Eurico

A rotina do Vasco em 2015 tem se notabilizado por ser rigorosa. Treinos abertos estão longe de acontecer com frequência e os sócios que têm se arriscado a criticar a diretoria, invariavelmente, são punidos.

Até o momento, o clube já expulsou três pessoas de seu quadro social e suspendeu outros quatro por seis meses. O primeiro sócio eliminado foi Davidson de Mattos, que publicou em uma rede social um prontuário médico de Eurico Miranda, vazado na internet em agosto, onde constava a internação do dirigente em um hospital. No texto, o vascaíno desejava a morte do presidente, algo que não foi tolerado pelo cartola e pela diretoria administrativa.

Alguns dias depois do episódio, Davidson recebeu uma carta assinada por Eurico que informava a eliminação do quadro social com base nos artigos 34, 35 e 36 do estatuto do clube.

Em outubro foi a vez dos sócios Eduardo de Carvalho Wimmer e Walter Brito Lima serem expulsos por fazerem duras críticas e ofensas ao presidente cruzmaltino e ao vice de futebol José Luiz Moreira em um programa de rádio. O tema central das acusações foi uma milionária confissão de dívida do clube com José Luiz, que será paga de maneira parcelada. Os dirigentes sentiram-se ofendidos a tal ponto que também analisam entrar com um processo contra a dupla.

Três sócios suspensos por seis meses estiveram envolvidos na tentativa de invasão a São Januário em um protesto dia 1º de agosto e o quarto é o advogado Alan Belaciano, que representou a chapa “Sempre Vasco”, que ficou em segundo lugar na eleição do clube. A justificativa apresentada em documento para a suspensão do opositor foram “declarações inverídicas atentatórias ao clube e aos seus dirigentes”.

Mistério

Os últimos dois dias de treinos em São Januário foram de segredo total. Nem mesmo entrevistas coletivas aconteceram. A última que teve acesso dos jornalistas foi na terça (6), o que não acontecia desde 21 de setembro.

Procurada pela reportagem do UOL, a assessoria do clube alega que o treinamento de quarta-feira (7) foi fechado em função da partida entre Vasco e Atlético-PR pela Copa do Brasil sub-20, que aconteceu à tarde.

Embora o estádio não esteja interditado pelo Corpo de Bombeiros, o clube alega que as obras que acontecem por lá geram “limitações”, o que motivou o fechamento das atividades.

Já o fechamento do treino de quinta-feira (8) não teve nenhum motivo em específico apresentado.

Embora diminua a exibição de patrocinadores, por exemplo, a prática de fechar os treinos se tornou comum nesta temporada, principalmente ao longo do segundo semestre.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir