Esportes

Varejão é cortado da Rio-2016, e setor mais forte da seleção vira problema

O ala/pivô Anderson Varejão, 33, está fora da Olimpíada do Rio.


O jogador do Golden State Warriors foi cortado da seleção brasileira que vai disputar os Jogos por causa de uma hérnia de disco.

Varejão ficou uma semana sem treinar com o restante dos seus companheiros, em São Paulo, antes de viajar para os Estados Unidos na noite de domingo (24) para realizar exames a pedido dos Warriors.

O atleta pegou um avião com o aval da CBB (Confederação Brasileira de Basquete) em direção à Califórnia, onde passou por algumas avaliações que evidenciaram a gravidade da lesão.

Varejão carrega consigo um histórico de contusões. Em 2014, por exemplo, ele rompeu o tendão de Aquiles. Já teve, também, que passar por cirurgia no joelho direito, em 2013, e sofreu, no mesmo ano, com uma grave embolia pulmonar.

Recentemente, o jogador renovou o seu contrato com os Warriors por mais uma temporada. O próximo campeonato da NBA começa no fim de outubro.

O técnico da seleção brasileira, o argentino Rubén Magnano, tem até o dia 2 de agosto para chamar um jogador para o lugar de Varejão. Este atleta tem que estar na lista de mais de 50 nomes entregue ao COB (Comitê Olímpico Brasileiro) em março.

A saída do pivô dos Warriors faz com que o garrafão, setor que até o início do ano era considerado o mais forte da seleção por ter jogadores de qualidade, vire um tremendo problema para o treinador argentino.

Antes mesmo da pré-convocação para a Rio-2016, em junho, Magnano já tinha que resolver uma adversidade.

Primeiro brasileiro campeão da NBA, o ala/pivô Tiago Splitter passou por uma cirurgia no quadril em fevereiro e não conseguiu se recuperar a tempo de se preparar para o evento que começa no dia 5 de agosto. Ele nem foi chamado.

A intenção de Magnano era poder contar, então, com o jovem Cristiano Felício. O pivô do Chicago Bulls, porém, pediu para não ser convocado para a Olimpíada. Ele preferiu participar da Liga de Verão da NBA, torneio do qual foi campeão com o Chicago Bulls neste mês.

O técnico optou por chamar o pivô Vitor Faverani, que joga pelo Murcia, da Espanha. Mas ele acabou cortado por causa de uma lesão no joelho direito.

São, ao todo, quatro desfalques para o garrafão.

Antes do corte de Varejão, Magnano já demonstrava muita preocupação. Chegou a falar em “planos A, B e C”.

Na segunda-feira (25), logo depois da vitória no amistoso contra a Romênia, em São Paulo, o treinador admitiu que uma das opções pode ser Felício. “É uma possibilidade. Como há outras”, afirmou.

Para o garrafão, Magnano conta agora com Nenê, Rafael Hettsheimeir, Augusto Lima e Guilherme Giovannoni.

Nenê é titular incontestável na posição de pivô. Hettsheimeir deve ser o reserva imediato do jogador do Houston Rockets.

No segundo jogo contra os romenos, Augusto Lima, que joga pelo Real Madrid, da Espanha, começou como titular na posição de ala/pivô.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir