Dia a dia

Vai começar no AM atendimento a crianças cadastradas no programa de proteção contra doenças respiratórias

Na Maternidade Ana Braga, o atendimento acorrerá às quartas-feiras, semanalmente, a partir deste dia 13 de janeiro, no horário da manhã – foto: divulfação

Na Maternidade Ana Braga, o atendimento acorrerá às quartas-feiras, semanalmente, a partir deste dia 13 de janeiro, no horário da manhã – foto: divulfação

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) inicia nesta quarta-feira (13) as atividades do calendário anual do programa de proteção contra o vírus sincicial respiratório (VSR).

Executado com o apoio do Ministério da Saúde e parceria das secretarias municipais de saúde, o programa é voltado para o atendimento dos bebês prematuros de alto risco e de crianças até 2 anos de idade, portadoras de doenças congênitas do coração ou da doença pulmonar crônica (DPC), que precisam receber o Palivizumabe, medicamento biológico de alto custo, recomendado para a prevenção das infecções causadas pelo VSR.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, neste ano, ao menos 120 crianças, da capital e do interior, cadastradas no programa, devem iniciar o esquema da medicação, que é composto de até 5 doses a serem aplicadas, conforme o caso, até o mês de junho. No ano passado, 198 bebês foram atendidos pelo programa.

O atendimento das crianças acontecerá em três unidades de saúde da rede estadual e uma da Prefeitura, em dias específicos. Na Maternidade Ana Braga, o atendimento acorrerá às quartas-feiras, semanalmente, a partir deste dia 13 de janeiro, no horário da manhã. No Instituto da Mulher Dona Lindu, o atendimento começa na quinta-feira (15); na Maternidade Moura Tapajoz (da Prefeitura), no dia 18; e na Maternidade Balbina Mestrinho, no dia 20. Nestas três últimas, o atendimento será realizado quinzenalmente, sempre no horário da manhã.

A neonatologista Tatiana Carranza, que coordena o programa, explica que foi disponibilizado um número de telefone (que pode ser acessado também com o aplicativo Whatsapp) para que as mães possam obter informações sobre os locais, dias e horários de atendimentos dos bebês cadastrados. “Também estamos fazendo um trabalho de busca ativa, ligando ou mandando mensagem para as famílias para lembrar sobre a necessidade de levar a criança para receber o medicamento”, disse ela. O número do telefone é 98440-3773.

A coordenadora salienta que, no processo de cadastramento das crianças que receberão o Palivizumabe neste ciclo, além da rede de maternidades, unidades como a Fundação Hospital Francisca Mendes, o Hospital Dr. Fajardo e o Instituto da Criança do Amazonas (Icam) deram um importante apoio, triando e encaminhando informações sobre os bebês atendidos em seus serviços e que têm indicação para receber o imunobiológico. “É um trabalho conjunto que nos permite ter uma cobertura mais ampla da ação”, afirma Tatiana.

A Secretaria Adjunta de Atenção Especializada do Interior também já expediu orientações às Prefeituras do interior e respectivas secretarias de saúde, para que deem o suporte necessário para que as crianças do interior, cadastradas no programa, possam vir a Manaus receber a medicação.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir