Dia a dia

Vacina contra gripe tem nova composição e segue até maio

Campanha nacional segue até o dia 26 de maio – Divulgação

Começou nesta semana, na segunda-feira (17), a campanha nacional de vacinação contra gripe, que segue até o dia 26 de maio. Além da antecipação do calendário de imunização na rede pública, uma das novidades deste ano é a inclusão, como público-alvo, dos professores das redes pública e privada. Outra novidade, conforme explica a diretora da Clínica Vacinar, médica Amanda Alecrim, é que a Agência Nacional de Saúde (Anvisa) alterou a composição da vacina contra Influenza (gripe).

A mudança, diz ela, segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) que, anualmente, faz uma previsão dos tipos de vírus Influenza que devem circular no mundo. Em 2016, o maior número de registros foi de H1N1. “Este ano, estudos indicam maior número de registros do tipo H3N2, inclusive no Amazonas”, afirma Amanda Alecrim.

O estudo feito pela OMS, segundo ela, é baseado em amostras de pacientes, coletadas em centros sentinela, unidades de referência distribuídas em vários países. De acordo com a médica, essa é a primeira mudança na composição da vacina desde 2010.

A mudança na composição da vacina disponibilizada este ano está no vírus Influenza A H1N1, que agora é do subtipo Michigan/45/2015. A vacina contra gripe possui duas apresentações, ambas adotadas no mundo inteiro: a trivalente, composta pelos vírus Influenza A H1N1, A H3N2 e B (subtipo Brisbane); e a quadrivalente, que possui esses mesmos vírus e mais o Influenza B (no subtipo Phuket). Tanto na trivalente quanto na quadrivalente, a mudança é no subtipo do vírus A H1N1.

A vacina ofertada no Sistema Único de Saúde (SUS) é a trivalente, que protege contra três tipos de vírus da gripe. Na rede privada, além da trivalente, é também oferecida a quadrivalente, contra mais um tipo de vírus.

O público-alvo da campanha de vacinação do Ministério da Saúde são as pessoas que tenham a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos, trabalhadores da saúde, professores, indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), portadores de doenças crônicas, presos e jovens que cumprem medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional. Na rede privada, a vacina contra gripe é encontrada durante todo o ano e qualquer pessoa pode se imunizar contra a doença.

A médica Amanda Alecrim orienta a população a se vacinar contra a gripe, anualmente, porque mesmo quando a circulação dos vírus permanece a mesma, o grau de proteção diminui ao longo dos meses, em decorrência da redução dos anticorpos. Ela alerta que a presença de novos vírus da gripe em circulação, pode significar risco de surto da doença, por isso, a população deve reforçar a imunização. O ideal é que todas as pessoas sejam imunizadas. “Somente dessa forma é possível reduzir as chances de surtos e a evolução da doença para formas mais graves”, frisa Amanda Alecrim.

Sintomas da Influenza

A gripe tem início súbito. Os principais sintomas são febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dores no corpo, perda de apetite, tosse (em geral seca), dor de garganta e coriza. Os especialistas orientam que, além da vacinação, a população adote também outras formas de prevenção, dentre elas, a limpeza frequente das mãos, utilizar lenço descartável para a higiene nasal, manter os ambientes ventilados e evitar ficar próximo a pessoas que apresentem sintomas da doença.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir