Esportes

‘V Gran Prix de Vôlei LGBT inicia com muito ‘glamour’ esportivo

O professor e Jornalista Daniel Góes, comandou a abertura da 5ª edição do Gran Prix Lgbt. foto: divulgação.

O professor e Jornalista Daniel Góes, comandou a abertura da 5ª edição do Gran Prix Lgbt. foto: divulgação.

O ‘V Gran Prix de Vôlei LGBT’ com o tema ‘Luta pelo Esporte e Cidadania LGBT’ foi realizado na noite do último sábado (12), no Conselho de Desenvolvimento Comunitário do Coroado, localizado na rua Ouro Preto, no bairro Coroado.

O evento foi realizado ao som de muita música eletrônica, apresentações de ballet e coreografias de ginásticas rítmica, além da escolha da musa e do melhor uniforme a 5ª Edição do Gran Prix de Voleibol LGBT.

Sob a coordenação do professor de Educação Física e Jornalista Daniel Coelho Góes e sua equipe, a 5ª edição da competição esportiva, que leva as cores da bandeira LGBT, que esse ano vem com 16 equipes que levam o nome dos diversos países mundiais entre eles (Canadá, Rússia, Brasil, China, Corea entre outros).

De acordo com o coordenador, essas ações esportivas realizadas pelo Gran Prix, ajudam tanto o Estado como o município, no enfretamento da homofobia e na discriminação contra os LGBT’s.

“Nossas competições aproximam a comunidade e as famílias, para que de fato convivam com nossos atletas, criando um vínculo de profissional, uma vez, que nossas equipes trazem atletas de outros estados para jogar em nosso município, através da competição” ressaltou Daniel.

O coordenador disse que as ações da 5ª Edição do Gran Prix de Voleibol, não vai se restringir somente ao bairro do Coroado, mais em todas as zonas da Cidade, levando cidadania e humanização dos Lgbt’s na capital do Amazonas, para as famílias amazonenses.

“Essa foi à forma que eu enquanto educador, ou seja, utilizando da educação para inserir na sociedade os Lgbt’s que são vitimas de preconceito e bullying em nossa capital, que somente esse ano já registrou 15 mortes de homossexuais, isso não é normal, estamos lutando para mudar isso” enfatizou Goés.

Daniel ressaltou a importância de integração com a sociedade, a prova disso, foi à comunidade do bairro coroado, pediu que os jogos fossem realizados no CDCC do bairro, para que as famílias prestigiassem o evento.

“Mas, uma vez essa decisão mostra que é possível transformar uma comunidade, uma sociedade o mundo, então é possível sim mudar e nós buscamos a mudança, através da educação e esporte” pontuou o coordenador.

Jogos

Nessa primeira fase, as 16 equipes vão se dividir em três chaves, em que, posteriormente, saíram as equipes que vão disputar as semifinais, e assim chegar a disputa final no dia 8 de novembro, data da grande final e onde será entrega o troféu ‘Cor de Rosa’.

 

Por Mairkon Castro

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir