Dia a dia

Universitários apresentam projetos inovadores para grandes empresas em Manaus

Evento contou com a presença de representantes de empresas nacionais e multinacionais – fotos: Divulgação

Alunos dos cursos de engenharia civil e elétrica, da Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro), defenderam, na noite desta quarta-feira (21), projetos de inovação tecnológica e sustentabilidade durante a “3ª Mostra de Projetos de Engenharia Civil e Elétrica”. O evento avaliativo, que reuniu mais de 600 pessoas, contou com a presença de representantes de empresas nacionais e multinacionais.  

O projeto “Piscina Biológica” é inovador no Amazonas 

De acordo com o professor de administração e coordenador de empregabilidade da instituição, Meyer Neto, durante a mostra os alunos têm a oportunidade de terem os projetos avaliados por várias empresas. “Esses projetos, na verdade são produtos de inovação e sustentabilidade dentro da engenharia civil e elétrica, que são apresentados pelos alunos e analisados. Aqueles que obtiverem boas notas têm grandes chances de serem lançados no mercado de trabalho”, informou.

Considerado inovador no Amazonas, o projeto “Piscina Biológica” não faz uso de produtos químicos, o que o torna diferente de uma piscina convencional. De acordo com Marcelo Nobre, aluno do 5º período do curso de engenharia elétrica, o projeto pode ser desenvolvido nos fundos de uma residência e, como não faz uso de sustâncias químicas, como por exemplo o “cloro”, não causa nenhum tipo de reação alérgica ao ser humano.

“É um trabalho que já vem sendo realizado em outros Estados, porém aqui no Amazonas ainda não existe. Na ‘Piscina Biológica’ a água é purificada por peixes, plantas aquáticas e pedras. As plantas, com a oxigenação, são responsáveis pelo tratamento de toda a água na piscina. Os peixes tratam os micro-organismos, que não são beneficentes à saúde humana. Já as pedras, funcionam como um filtro para pequenos resíduos no local”, defendeu o universitário Marcelo Nobre justificando que, por não utilizar o ‘cloro’ na mistura com á água, não há irritações na pele e nem nos olhos dos banhistas.

Além de representantes de empresas, participaram do evento professores da UEA e UFAM

O orçamento da “Piscina Biológica”, segundo seus idealizadores no Amazonas, custa em torno de R$ 40 a R$ 60 mil  em tamanhos que variam de 5 a 10 metros. Para o coordenador de empregabilidade, a terceira edição do evento superou todas as expectativas. “Esse resultado só foi capaz por causa da parceria entre a diretora-geral da Fametro, Cínara Cardoso, a coordenadora de engenharia da instituição, Priscila Pregue, e a central de empregabilidade”, ressaltou.

Participaram do evento representantes das empresas Samsung, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Seabre), Fábrica Unicoba da Amazônia, Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), além de professores e diretores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Isac Sharlon

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir