Esportes

Único alemão na Rio-2016 que estava no elenco do 7 a 1 diz que Brasil é favorito

O zagueiro alemão Matthias Ginter estava presente no 7x1 contra o Brasil na Copa do Mundo de 2014 - foto: DFB.de

O zagueiro alemão Matthias Ginter estava presente no 7×1 contra o Brasil na Copa do Mundo de 2014 – foto: DFB.de

Único jogador da atual seleção olímpica alemã a ter feito parte do grupo que venceu o Brasil por 7 a 1 no Mineirão e que venceria a Copa de 2014, o zagueiro Matthias Ginter, 22, tem ótimas lembranças de sua passagem pelo Brasil. No sábado (20), ele voltará a enfrentar a seleção brasileira na final do torneio de futebol masculino da Rio-2016 e espera que sua equipe tenha performance semelhante.

“Tenho lembranças positivas, assim como qualquer alemão. A Copa do Mundo foi uma experiência única de vida. Espero que tenhamos tanto sucesso quanto há dois anos”, disse Ginter após a vitória por 1 a 0 sobre a Nigéria no Itaquerão nesta quarta-feira (17).

Na decisão, ele reencontrará Neymar, que fez parte da seleção que sofreu o 7 a 1 e também não participou do jogo -em seu caso, por conta de uma lesão sofrida contra a Colômbia. Ginter ficou no banco de reservas na ocasião. Com um sorriso tímido, o zagueiro descarta a repetição do resultado humilhante para o Brasil.

“Será uma partida totalmente diferente, com duas equipes totalmente diferentes. O jogo de sábado não tem nada a ver com o que aconteceu há dois anos. Claro, penso muito nela, mas já acabou. Os Jogos estão acontecendo agora, não importa o que aconteceu no passado”, diz.”O Brasil tem um time muito forte, eles são favoritos à medalha de ouro, mas acho que não temos motivos para nos esconder”, acrescenta.

Sobre o atacante do Barcelona, Ginter prevê dificuldades para marcá-lo.

“É um jogador de primeira categoria. Será difícil. Mas temos espírito de equipe e estaremos preparados.”
Ginter voltará a pisar no Maracanã, palco da vitória por 1 a 0 sobre a Argentina que deu o título aos alemães. O zagueiro mostra empolgação ao falar do retorno.

“Temos sentimentos muito positivos de voltar. Ganhamos a final da Copa lá, é algo que só acontece uma vez na vida, creio. Tenho ótimas memórias da Copa e também das pessoas daqui. Estou muito feliz por voltar ao Rio de Janeiro e ao Maracanã”, conclui.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir