País

União atrasa verba, e governo de Minas suspende cirurgias pelo SUS

Por conta de um atraso de R$ 100 milhões em repasses do governo federal, o governo de Minas Gerais anunciou a suspensão de 60% das cirurgias realizadas pelo SUS no Estado. Por mês, isso representa cerca de 12 mil operações.

A decisão afeta pacientes que fariam cirurgias eletivas (não emergenciais) a partir desta quarta (1º). Os recursos, segundo o Estado, estão atrasados desde outubro do ano passado.

Um dia antes, a Prefeitura de Belo Horizonte decidiu cancelar também esse tipo de cirurgia para pacientes do interior.

A Secretaria de Saúde de Minas afirma que a suspensão é para evitar um aumento da dívida com os municípios e com prestadores de serviço.

Também afirma que a medida só afetará procedimentos de baixa complexidade e informa, por meio de nota, que os municípios podem realizar as cirurgias já agendadas com recursos destinados à média e alta complexidade.

Procurado, o Ministério da Saúde afirma que os valores retroativos serão pagos nos próximos dias, após publicação de portaria do órgão.

O governo de Minas é comandado pelo petista Fernando Pimentel e, segundo o ministério, foi o único a suspender as cirurgias pelo SUS.

Por Folhapress

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top