Esportes

‘Um caminho para unir a paixão pelo esporte ao dinheiro’, diz especialista de trading esportivo

Juliano desenvolveu métodos didáticos de ensino dessa metodologia, além de ser o principal trader esportivo do Brasil – Divulgação

Graduado em administração de empresas pela Faculdade de Ciências Econômicas do Triângulo Mineiro, Juliano Fontes de Souza, 30, tem ganhado notoriedade pelo trabalho realizado com trading esportivo. Especialista há 7 anos no assunto, ele já escreveu livro, recebeu prêmios e desenvolveu métodos capazes de fazer qualquer fã de futebol ganhar dinheiro sem calçar a chuteira, vestir a camisa e entrar em campo.

PÓDIO – O que é o trading esportivo?

Juliano Fontes – O trading esportivo se baseia na movimentação financeira realizada por outros investidores que aplicam nas bolsas esportivas, com base nas probabilidades de resultados dos jogos e placares, exigindo o domínio de técnicas que podem ser realizadas por qualquer um que goste de esportes e tenha disciplina para estudar, e por isso se tornou um caminho para unir a paixão pelo esporte ao dinheiro, já que proporciona uma renda que pode se tornar o principal ganho ou ser uma fonte extra de rendimentos. Muita gente confunde apostas on-line com trading esportivo. Em apostas on-line a pessoa escolhe um resultado baseado em um chute ou preferência e investe certa quantia de dinheiro, contando com a sorte como fator decisivo.

PÓDIO – Como funciona?

JF – Com embasamento, é possível investir em vários esportes e os que têm mais liquidez são futebol e tênis. Como tenho paixão por futebol desde menino, resolvi investir nessa área. A pessoa deve escolher algum esporte que realmente goste para conseguir investir.

PÓDIO – Quem pode participar? Existe algum tipo de limitação?

JF – Qualquer pessoa pode participar. Porém, o perfil dos meus alunos são 97% homens entre 25 e 39 anos e que buscam um complemento na renda. Para começar, é preciso ter uma conta numa bolsa esportiva. Em segundo, a pessoa deve enviar os recursos para creditar a conta, que pode ser feita via boleto bancário, Paypal, débito em cartão de crédito internacional ou utilizar a Neteller, um tipo de carteira virtual e que tem suporte em português.

PÓDIO – Como você descobriu essa ferramenta?

JF – Comecei a comprar e vender ações aos 18 anos de idade. Quando tinha 20 anos, um amigo me apresentou o trading, mas como não entendia nada de investimentos, me pediu uma ajuda e eu me fascinei por esse universo podendo juntar o mercado de renda variável e o futebol.

PÓDIO – Esse tipo de “trabalho” exige a dedicação de quantas horas diárias?

JF – Acredito que o iniciante dedique de uma a duas horas por dia de estudo e trabalhe ao menos de quatro a cinco jogos por semana. Com isso, já é possível obter um retorno lucrativo. Já um investidor profissional pode trabalhar um a três jogos por dia, por exemplo. É importante explicar para os leitores que o exercício de investir no futebol vai muito além da duração dos jogos. Envolve análise pré-jogo, relatórios, planilhas de acompanhamento, entre outras atividades.

PÓDIO – Qual o valor de investimento inicial e em quanto tempo o lucro vem?

JF – O investimento inicial pode ser entre R$ 300 e R$ 500. Cada jogo tem sua própria liquidez. Campeonatos grandes, como o Brasileiro ou a Copa Libertadores da América, têm uma boa liquidez, chegando ao mínimo de R$ 300 mil de movimentação. Encerrada a operação, a bolsa credita o dinheiro na conta imediatamente. E o lucro é creditado por volta de um minuto após o término da partida.

PÓDIO – Quanto é possível ganhar mensalmente com o trading esportivo e qual o melhor caminho para se fazer os investimentos?

JF – Com estudos prévios e estratégias que podem ser adquiridas no meu curso Trade Esportivo 2.0, é possível aplicar e ter o retorno de cerca de R$ 2 mil/mês. Eu opero por meio da bolsa londrina Betfair e, por conta da ausência da moeda brasileira, o investimento é aplicado em dólares.

PÓDIO – Tem alguma estratégia para que o erro no investimento seja minimizado?

JF – Um exemplo do que pode ser feito, e que não precisa ser uma regra absoluta, é investir a maior parte do dinheiro na vitória do time mais forte, e usar uma pequena parte para investir no empate 0x0. Assim, se o time mais forte fizer um gol até o final do primeiro tempo, você vai poder vender a aplicação na vitória por um. A segunda forma de conseguir um bom retorno é investindo contra o favorito no segundo tempo. Isso é bom quando, no primeiro tempo, você percebe que o time da zebra está pressionando o favorito. Se o jogo permanecer 0x0, o seu investimento vai se valorizando a cada minuto e você pode vender o resultado e ter um pequeno lucro, e se o time favorito sofrer um gol, o investimento se valoriza e você vende, lucrando ainda mais. Mas, se o time favorito reconquistar as forças, dá tempo de vender os resultados sem prejuízo.

PÓDIO – Pelo que entendi, trata-se de uma modalidade de investimento. Ele é mais ou menos seguro que a bolsa de valores, por exemplo?

JF – O único risco é você perder seu capital investido, que recomendo ser baixo, entre R$ 300 e R$ 500. Mas através dos bônus de boas-vindas, é possível acumular um capital acima de R$ 2 mil. Nesse caso, recomendo sacar o depósito inicial e só trabalhar (fazer o trading esportivo) com o restante do capital. Assim, mesmo se perder 100%, não haverá prejuízo real. No trading esportivo, não é possível trabalhar alavancado (investir mais do que o capital depositado).

PÓDIO – Existe alguma dica que você queira deixar para quem deseja se aventurar no trading esportivo?

JF – Eu gosto de destacar que é importante não se abalar com prejuízos nem se empolgar com os lucros. Tornei-me pioneiro do seu segmento no Brasil, sendo hoje o criador da maior comunidade do país sobre investimentos em bolsas esportivas, com reconhecimento internacional, além de carregar o título de autor best-seller com o livro “Invista em Futebol”. Já são mais de 2.300 alunos que ensino através do curso Trade Esportivo 2.0 a trabalharem com essa modalidade e transformarem seu esporte favorito em renda. Além do Brasil, já ministrei cursos para alunos de vários países, como Argentina, Portugal, Espanha, Irlanda, Inglaterra, Angola, Austrália e Japão. Já recebi diversos prêmios como maior investidor em casas de apostas como FantasticWin e Betmotion. Além disso, fui o maior divulgador da Betfair no mundo nos anos de 2014 e 2015.

André Tobias
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir