Dia a dia

Túmulos do Cemitério São João Batista são alvos de furtos

Familiares de pessoas enterradas no Cemitério São João Batista, localizado na avenida Boulevard Álvaro Maia, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus, denunciam furtos de objetos e até de restos mortais de parentes que foram sepultados no local. Nesta segunda-feira (20), sepulturas foram violadas e lápides danificadas. A onda de vandalismo causou prejuízos e, principalmente, aumenta a dor daqueles que perderam entes queridos.

“Não é a primeira vez que chegamos aqui e nos deparamos com as sepulturas quebradas. Já roubaram até os ossos da minha avó. Destruíram tudo, arrancaram as fotos, o crucifixo, além dos arcos que são feitos de bronze. São materiais caros e sempre tiramos do próprio bolso para fazer os reparos”, relatou a cantora Barbara Bianca, de 47 anos, que perdeu a avó há seis anos e foi informada do furto, no último sábado (18), por um zelador do cemitério.

O mais tradicional cemitério da capital, prestes a completar 126 anos de existência, o São João Batista abriga quase 120 mil sepultados, entre os quais estão algumas figuras de setores como política, social, intelectual e empresarial do Amazonas.

Alguns túmulos são alvos de vandalismo

A cantora ainda lamenta o abandono e a falta de segurança do cemitério. “Isso aqui está tomado pelo mato, está uma baderna. Meu pai sofre bastante com isso, ele tem problemas de saúde e ter que passar por uma situação dessa é muito desagradável. Eu peço uma solução dos órgãos responsáveis”, reivindicou Barbara.

O furto foi registrado no 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), responsável pela administração dos cemitérios de Manaus, informou que, como qualquer outro tipo de roubo ou furto, a situação deve ser formalizada pela pessoa na Delegacia de Polícia, por meio do registro de um boletim de ocorrência.

“Após esse procedimento, a pessoa pode ir até a sede da Semulsp, dar entrada em um requerimento solicitando providências. A Semulsp informa ainda que o cemitério São João Batista possui uma sede administrativa, vigilantes em plantão e equipes da Prefeitura de Manaus atuando em três turnos, justamente para inibir essas práticas”, diz a nota.

O cemitério tem mais de 120 mil pessoas sepultadas – Fotos: Arthur Castro

Daniel Landazuri
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir