Mundo

Trump defende fim de cidadania para bebês de imigrantes nascidos nos EUA

O pré-candidato republicano Donald Trump voltou a defender o fim da cidadania compulsória para bebês nascidos nos EUA filhos de imigrantes ilegais.

Em entrevista à rede CNN, o líder da corrida no Partido Republicano disse, nesta quarta-feira (20), que “precisa fazer a coisa certa”, apesar das críticas de que, com essa posição, a legenda perde apoio entre o eleitorado hispânico.

Seu programa para a imigração vem sendo chamado de plano de deportação em massa, por prever que todos os imigrantes ilegais sejam obrigados a deixar os EUA, estando sob ataque de democratas e mesmo entre republicanos.

Trump já havia defendido a construção de um muro na fronteira com o México para evitar a entrada de mães que pretendem dar à luz nos EUA.

A cidadania para bebês nascidos no país é prevista pela Constituição, mas é “questionável” para o pré-candidato. Para revogá-la, “levaria tempo, dois mandatos”, afirmou.

“No meu oitavo ano [na Presidência, se vencer], supondo que tudo caminhe suavemente, será possível reverter legalmente.”

Segundo a CNN, quando Trump se sentou com o jornalista em uma área comum na torre que leva o seu nome, em Nova York, para a entrevista, um transeunte o criticou.

“Você nunca vencerá o voto latino. Latinos não gostam de você”, teria dito a pessoa. Ao final da conversa, porém, dois observadores se disseram americanos descendentes de mexicanos e que o apoiariam.

Trump atacou o que chama de discurso politicamente correto comum nos EUA para defender que todos os imigrantes ilegais voltem a seu país de origem. “Os bons, eu tentarei trazer de volta, mas legalmente”, disse.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir