Esportes

Triste por sair dos Spurs, Splitter se diz motivado para jogar em ‘cópia’ do time

Depois de cinco anos, o pivô brasileiro Tiago Splitter, 30, está de saída do San Antonio Spurs. A partir da próxima temporada, vai atuar pelo Atlanta Hawks. O atleta admitiu estar triste por deixar uma das franquias mais bem sucedidas na NBA (com cinco títulos), mas disse que não deverá sentir tanto a mudança. Pelo menos dentro de quadra.

Os Hawks possuem um estilo de jogo muito parecido com o dos Spurs. É praticamente uma cópia. O técnico da equipe, Mike Budenholzer, foi assistente técnico de Gregg Popovich no time do Texas de 1996 a 2013 e trabalhou com Splitter na equipe por três temporadas.

“O sistema de jogo dos Hawks é praticamente igual ao dos Spurs. São quase as mesmas jogadas, defende da mesma maneira. É tudo muito parecido. O Budenholzer aprendeu com o Popovich e tentou colocar esse jogo no Atlanta. Estou muito motivado”, disse Splitter em entrevista à reportagem.

Sob o comando de Popovich, o time de San Antonio conquistou todos os seus cinco títulos da NBA (1999, 2003, 2005, 2007 e 2014). Splitter estava no elenco na última conquista e se tornou o primeiro brasileiro a levar o título da liga.

Os Hawks parecem estar no caminho certo. Em 2014/15, a equipe teve a melhor campanha da Conferência Leste, com 60 vitórias e 22 derrotas. O time só foi eliminado na final de conferência ao perder para o Cleveland Cavaliers, que fechou a série melhor de sete em 4 a 0.

“Estou feliz de ir para um time de qualidade, que já tem uma base montada e foi vice-campeão do Leste. É um grupo bem homogêneo, que quer vencer. O mais importante para mim, agora, é ajudar a equipe ser campeã”, afirmou Splitter, que não terá facilidade para ganhar uma vaga de titular.

Budenholzer dispõe de dois nomes importantes para o garrafão: o ala/pivô Al Horford, 29, e o ala Paul Millsap, 30.

“Não penso nisso de ter mais espaço. Não é o mais importante. Sou só mais um jogador”, afirmou Splitter, que na temporada passada sofreu com lesões e teve uma média de 8.2 pontos por jogo.

O brasileiro, porém, admitiu que não é fácil deixar os Spurs, franquia que possui um dos elencos mais fortes da liga e que na última temporada foi eliminada nas quartas de final da Conferência Oeste ao perder para o Los Angeles Clippers, por 4 a 3, na série melhor de sete.

“É difícil sair de San Antonio, onde fui campeão e sou muito agradecido. Não fiquei magoado. Eu sabia que existia a possibilidade de ser transferido. Só fico triste de não estar mais lá. Mas o presidente da franquia sempre foi muito correto comigo. Foi o primeiro a ligar para mim e falar sobre a transferência”, afirmou.

“Vou carregar os Spurs para sempre no meu coração”, concluiu.

Splitter tem mais dois anos de contrato na NBA. Na próxima temporada, ele vai ganhar US$ 8,5 milhões (R$ 26,5 milhões). Em 2016/17, vai receber US$ 8,2 milhões (R$ 25,7 milhões).

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir