Política

Tribunal de Contas recomenda que prefeituras do AM não gastem com festas

A iniciativa foi tomada, segundo o órgão, após a divulgação de investimentos exorbitantes de municípios do interior com eventos, como a Festa do Cupuaçu - foto: divulgação

A iniciativa foi tomada, segundo o órgão, após a divulgação de investimentos exorbitantes de municípios do interior com eventos, como a Festa do Cupuaçu – foto: divulgação

Depois de o governo do Amazonas anunciar o corte de verbas para o setor de cultura por causa da crise econômica no país e no estado, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), fez um alerta aos municípios para que não gastem com festas tradicionais.

A iniciativa foi tomada, segundo o órgão, após a divulgação de investimentos exorbitantes de municípios do interior com eventos, como a Festa do Cupuaçu, em Presidente Figueiredo, a 107 quilômetros de Manaus. Realizada no último fim de semana, a Festa do Cupuaçu custou cerca de R$ 1 milhão segundo a mídia local.

O presidente do TCE-AM, conselheiro Ari Moutinho Júnior, informou que vai encaminhar, nesta semana, um ofício às 62 prefeituras do estado recomendando que os recursos municipais sejam investidos prioritariamente nos serviços essenciais

“Entendo eu, a corte entende, os conselheiros, que a prioridade é a saúde, a prioridade é a educação, a prioridade, enfim, são as necessidades básicas da população. E não festas exorbitantes, que nós acompanhamos pela mídia local, em que prefeitos em processo de pré-eleição, que são candidatos a reeleição, gastam mais de R$ 600 mil em atrações nacionais para um dia de festa”, explicou o conselheiro.

Para Ari Moutinho Júnior, o corte nesse tipo de gasto trará mais benefícios aos municípios e à população do que o retorno financeiro que essas festam costumam proporcionar.

“Eu tenho certeza que, se nós fizermos um questionamento a população e perguntarmos se eles querem as unidades de saúde funcionando ou uma noite de festa, uma creche para seus filhos, o salário dos servidores, enfim, as prioridades dos municípios, eles vão, acima de tudo, caminhar nessa linha, não de uma noite de pão e circo”, afirmou o presidente do TCE-AM.

Apesar de gostar das festas tradicionais, a diarista Andrea Alves de Oliveira também defende que o momento é de investimento apenas em áreas prioritárias.

“Eu concordo. Porque, no momento que nós estamos vivendo, eu acho que tem outras coisas muito melhores pra eles gastarem o dinheiro em vez desse tipo de festa. Apesar de gostar das festas, sempre frequento, o benefício maior são as escolas e a saúde”, declarou a diarista.

O assunto também será debatido na próxima sessão do Tribunal de Contas do Estado, segundo o conselheiro Ari Moutinho Júnior, para se sejam tomadas “medidas mais rígidas” que impeçam a realização dos gastos nos municípios que estejam inadimplentes e com problemas na rede de saúde.

O TCE informou ainda que Associação Amazonense de Municípios (AAM) vai reforçar o alerta às prefeituras.

Por Agência Brasil

1 Comment

1 Comment

  1. Angela

    5 de junho de 2016 at 18:58

    Será que está recomendação vale para a Prefeitura de Manaus??? Pois o prefeito de Manaus vai gastar milhões com festas. Como exemplo o rock in rio e o aniversário de Manaus e as festas juninas. Precisamos de mais dinheiro na saúde e educação e estes prefeitos ainda não entendem os anseios da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir