País

Três pessoas morrem na maior chuva registrada no Recife neste ano

Três pessoas morreram no Recife devido à maior chuva já registrada este ano, que atinge toda a região metropolitana desde a noite de domingo (28).

Segundo a Prefeitura do Recife, entre 8h de domingo e 8h desta segunda-feira (29) foram registrados 228 mm de chuvas na capital. O volume é equivalente ao esperado para 16 dias do mês de junho.

Durante a madrugada, pai e filho morreram soterrados dentro de uma casa que foi atingida pelo desabamento de uma barreira no bairro Bomba do Hemetério, na zona norte do Recife.

Jorge Pacheco da Silva, 53, e Flávio Lopes Barbosa, 27, moravam em um conjunto de quatro casas conjugadas. Segundo a prefeitura, todos os moradores do local haviam recebido alerta para deixar os imóveis devido ao risco de desabamentos, mas a família de Silva permaneceu no local.

A encosta que caiu é local de frequente acúmulo de lixo. Segundo a prefeitura, há dez dias foi realizada uma limpeza na área, de onde foram retiradas 50,4 toneladas de lixo.

No domingo à noite, o jovem Anderson José da Silva, 20, morreu eletrocutado em uma calçada próximo ao shopping center Tacaruna, no bairro de Santo Amaro, na região central.

Segundo a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), as fortes chuvas e ventos derrubaram uma árvore sobre fios de baixa tensão da rede de iluminação pública, que se romperam, provocando o acidente.

Em nota, a empresa afirma que irá prestar assistência à família da vítima, que lamenta o acidente e que “as causas estão sendo devidamente apuradas”.

REGIÃO METROPOLITANA

As chuvas também provocaram alagamentos, queda de árvores, deslizamentos e quedas de barreiras em outras regiões da cidade e na região metropolitana do Recife.

Na zona oeste, as avenidas Recife, Dois Rios e Doutor José Rufino ficaram intransitáveis. Oito acidentes foram registrados nas vias da cidade até as 11h30, segundo a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU).

Na zona norte, uma barreira caiu no bairro Vasco da Gama, mas não houve vítimas. A Defesa Civil do Recife informou que recebeu 174 chamados até as 11h, entre solicitações de lonas plásticas para cobrir encostas e de vistorias para avaliar riscos de desabamentos.

Ao menos dez árvores caíram durante as chuvas, de acordo com a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emurb).

O temporal também atingiu cidades da região metropolitana como Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe, Abreu e Lima, Olinda e Paulista.

Em Jaboatão, onde as chuvas foram mais intensas, foram registrados 194 mm de chuva entre 9h de domingo e 9h desta segunda, segundo a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac). O esperado para todo o mês de junho na cidade é de 309 mm de chuva – até agora, foram registrados 472 mm.

O gerente de meteorologia da Apac, Patrice Oliveira, afirma que há previsão de mais chuva para os próximos dias. Segundo ele, o período chuvoso deve continuar até julho em toda a faixa litorânea do Estado.

Por Folhapress

1 Comment

1 Comment

  1. camilly

    1 de dezembro de 2015 at 16:27

    em morro agudo quando chove demais nao da enchente nao da nada eu agradeco a deus por isso senhor mito obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir