País

Três morrem sob suspeita de infecção por superbactérias em hospital do DF

Três pessoas morreram por suspeita de infecção por duas superbactérias no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), no Distrito Federal, um dos principais hospitais públicos da região.

As mortes ocorreram entre a manhã de domingo e a madrugada desta segunda-feira (1º), segundo a Secretaria de Saúde do DF.

As vítimas eram mulheres entre 70 e 80 anos – duas delas foram diagnosticadas com enterococo e uma com KPC, ambas bactérias consideradas resistentes a alguns antibióticos.

Outros cinco pacientes que eram atendidos no pronto-socorro também tiveram exames positivos para enterococo e foram isolados em outra área do hospital.

Com a suspeita de contaminação, a emergência do HRT está parcialmente fechada desde quinta-feira (28). Pacientes que procuram atendimento nas áreas de cardiologia, clínica médica, ortopedia e cirurgia geral estão sendo transferidos ou orientados a procurar outros hospitais.

Ao todo, o HRT atende cerca de 400 pacientes diariamente no pronto-socorro. De acordo com a secretaria de Saúde, o local passa por limpeza para desinfecção. A previsão é que a área seja reaberta para atendimento até o fim da tarde desta terça-feira (2).

Segundo o infectologista Manuel Palacios, que acompanha o caso, ainda não é possível afirmar se as mortes estão relacionadas às duas bactérias, uma vez que as três pacientes apresentavam outras comorbidades – uma delas chegou ao hospital após uma fratura grave no fêmur. As demais tinham quadros de hipertensão, insuficiência renal, falta de ar, entre outros.

Para Maria de Lourdes Lopes, coordenadora de infectologia no governo do DF, situações como o uso indiscriminado de antibióticos e a baixa imunidade podem tornar multirresistentes bactérias como o enterococo, que costuma ser encontrada na região do intestino. A transmissão ocorre por meio do contato com a pessoa infectada.

A suspeita de contaminação por bactérias multirresistentes é uma preocupação frequente em hospitais do país. Além do hospital de Taguatinga, outros dois pacientes foram isolados na última semana no hospital de Guará, também no Distrito Federal, após exames derem positivo para a bactéria acinetobacter.

Em nota, a secretaria de Saúde afirma ainda que “faz rigoroso controle de infecções” e que “a população não deve se alarmar, pois essas bactérias multirresistentes não conseguem se propagar fora do ambiente hospitalar”, finaliza.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir