Sem categoria

Tradicional concurso de marchinhas carnavalescas abre inscrições

O prazo de submissão acaba em 5 de janeiro, dando início à fase classificatória, quando o júri especializado escolherá as cinco finalistas  – foto: divulgação

O prazo de submissão acaba em 5 de janeiro, dando início à fase classificatória, quando o júri especializado escolherá as cinco finalistas – foto: divulgação

A Fundição Progresso abriu as inscrições para a 11ª edição do tradicional Concurso de Marchinhas Carnavalescas, que elegerá a melhor canção para o Carnaval 2016 e homenageará Noel Rosa, autor de clássicos como ‘Pierrô Apaixonado’ e ‘As Pastorinhas’.

O prazo de submissão acaba em 5 de janeiro, dando início à fase classificatória, quando o júri especializado escolherá as cinco finalistas. A lista será anunciada em 15 de janeiro, e as escolhidas seguem para uma votação on-line -a primeira em mais de uma década de competição- entre 23 de janeiro e 6 de fevereiro.

Para se inscrever no concurso, os interessados devem cadastrar suas marchinhas e submetê-las em formato MP3 no formulário oficial (http://www.concursodemarchinhas.com.br/). A gravação da canção não precisa ter acompanhamento instrumental, basta incluir letra e melodia entoada.

“Se a música for boa, as chances são as mesmas. Uma das três vencedoras de 2012, ‘Batata no palito’, de Jorge Luiz Manga, foi gravada pelo autor no gogó e com acompanhamento de uma caixinha de fósforo. E ele não era músico”, conta Vanessa Damasco, diretora do concurso e presidente do júri.

Para concorrer, o candidato precisa ser maior de 18 anos, mas menores de idade podem assinar como coautores. A temática é livre e cada autor pode inscrever até três músicas.

A marchinha campeã será revelada na abertura do Carnaval da Lapa, em um “baile de salão a céu aberto” com entrada franca. O prêmio é de R$ 10 mil para o autor campeão, e R$ 3.000 para o segundo colocado.

Mais de 9 mil músicas foram inscritas desde 2005, primeiro ano do concurso. Nas últimas edições, as vencedoras foram “Vovô Ampulheteiro”, de André Mesquita, Alberto Silva, Bozo e Moreira Junior (2013), “Cadê a Viga”, de Rita e Cássio Tucunduva (2014) e a pernambucana “Adoro Celulite”, de Jota Michiles e Gustavo Krause (2015).

O histórico e as finalistas dos últimos concursos estão disponíveis no banco de dados virtual do evento.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir