Economia

Trabalhadores protestam em frente ao Tropical Hotel contra atrasos em salários e outros benefícios

 O ato aconteceu em frente à portaria do hotel de luxo - foto: Márcio Melo

O ato aconteceu em frente à portaria do hotel de luxo – foto: Márcio Melo

Um grupo de trabalhadores do Tropical Hotel, um dos maiores resorts de Manaus, realizou na manhã desta segunda-feira (10) uma manifestação reivindicando salários e benefícios atrasados de 450 servidores diretos da empresa. O ato aconteceu em frente à portaria do hotel de luxo, localizado no Complexo Turístico da Ponta Negra, Zona Oeste da capital amazonense.

Conforme os manifestantes, os salários deste mês estão atrasados, além de terem suspendido o cartão de adiantamento do ‘Controlife’, corte da cesta básica. Os trabalhadores dispensados também não têm recebidos seus direitos, a exemplo de benefícios como Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a multa rescisória. Outro motivo de reclamação por parte dos trabalhadores é a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os trabalhadores.

De acordo com o representante da Central Única do Trabalhadores (CUT), Gerson Almeida, a empresa, há dez dias, cortou o diálogo com os trabalhadores e não deu mais satisfação. “Se a empresa não de manifestar, seremos obrigados a paralisar totalmente as atividades e não deixar mais entrar os ónibus no hotel”, disse.

“O local em que trabalhamos é extremamente quente. Estamos tendo de gastar do próprio bolso para comprar equipamentos”, comentou o funcionário Hélio Peçanha, que atua como garçom.

Já o técnico em segurança do trabalho Raimundo Moraes ressaltou que, além da falta de EPI, a empresa está faltando com medicamentos que são primordiais para a atuação dos trabalhadores.

“A gente está em desconforto com essa situação. Hoje, nós estamos com contas atrasadas, aluguel atrasado, filhos e familiares passando necessidade. Todo compromisso de um grupo que trabalha em prol do seu salário e no fim do mês a empresa não honra a sua parte. E ninguém vem nos dar uma satisfação”, criticou.

Hotel

O assessor de imprensa do Hotel Tropical, Paulo Roberto, informou que 70% dos funcionários, cerca de 350 deles, receberam os pagamentos no último sábado (8), por meio das contas bancárias pessoais.

“O hotel tem até o quinto dia útil para efetuar os pagamentos. Um dia depois desse prazo, já no sábado, nós pagamos os salários de 70% do nosso quadro funcional que é composto por aproximadamente 500 funcionários. Os 30% que restaram são aqueles com salários mais altos, mas que também vão receber até a próxima sexta-feira (14). Obedecendo o acordo que firmamos hoje com o sindicato. O atraso aconteceu devido à greve dos bancários que atrasou nosso trabalho, além da crise financeira que estagnou o mercado”, disse ele.

Questionado sobre as demais denúncias, Roberto negou que falta os medicamentos ou ainda o uso dos EPI’s. Segundo ele, o hotel se preocupa com a segurança dos profissionais e investe nos equipamentos. Ele salientou ainda que enfermeiros trabalham 24 horas para atender os trabalhadores.

Sobre os benefícios, o assessor informou que o FGTS dos funcionários demitidos está sendo pago normalmente, dentro do prazo estipulado pela justiça do trabalho. Segundo Paulo Roberto, o ‘Controlife’ era um benefício adicional que o Tropical oferecia aos funcionários, mas que precisou ser cortado devido à queda do fluxo de caixa da empresa.

“Infelizmente, o hotel teve que cortar custos. Entretanto, os funcionários continuam a receber os benefícios garantidos por lei”.

Por Joandres Xavier
Jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir