Economia

Trabalhadores de fábrica da ZFM protestam para receber salários atrasados

Funcionários da Elo Eletrônica promoveram um ato público na porta da fábrica, nesta terça-feira (9) – foto: divulgação

Funcionários da Elo Eletrônica promoveram um ato público na porta da fábrica, nesta terça-feira (9) – foto: divulgação

Em torno de 35 trabalhadores da Elo Eletrônica promoveram um protesto para cobrar salários e benefícios atrasados, por volta das 10h desta segunda-feira (9), na porta da empresa, localizada na avenida Torquato Tapajós, bairro Novo Israel.


Eles alegam que os vencimentos referentes a maio ainda não foram pagos aos 120 servidores da companhia.

Segundo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (SindMetal), João Brandão, em reunião, a indústria alegou que está sem dinheiro em caixa para pagar os trabalhadores ou mesmo comprar matéria-prima para continuar sua produção de contadores de luz.

A firma, conforme o Brandão, aposta suas fichas em um investidor que sinalizou interesse em injetar capital suficiente para arcar com as despesas e botar novamente a empresa ‘nos trilhos’.

Na última segunda-feira (8), 17 trabalhadores procuraram o SindMetal para registrar a reclamação, o que levou a entidade a organizar uma reunião com diretores e funcionários da empresa, bem como representantes do Sindicato, para discutir a situação, nesta terça-feira.

O SindMetal ainda propôs algumas ações de acordo para ambas as partes, como suspensão de contrato, pagamento dos atrasados até o próximo dia 19, garantia de emprego a todos os trabalhadores e restabelecimento de benefícios aos funcionários e seus dependentes.

Uma das propostas também é conceder lay off – suspensão temporária dos contratos de trabalho, mediante pagamento de benefícios.

“Os empresários não deram uma data exata para a recuperação. Com isso, nós demos um prazo de dez dias para a empresa efetuar os pagamentos e benefícios. Do contrário, entraremos na Justiça para pedir o bloqueio dos bens da empresa e a garantia dos pagamentos”, disse Brandão.

A reportagem do EM TEMPO Online entrou em contato com o representante da empresa Eco Eletrônica na região, o gerente da planta industrial em Manaus, Gilson Pinto, que disse não estar autorizado para falar sobre o assunto.

Por Joandres Xavier (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir