Dia a dia

Trabalhador morre ao cair de torre de 30 metros na Zona Oeste de Manaus

A vítima realizava manutenção na torre de comunicação quando caiu - foto: reprodução/Internet

A vítima realizava manutenção na torre de comunicação quando caiu – foto: reprodução/Internet

O trabalhador Benedito Pinto da Silva, 43,  morreu, na manhã desta segunda-feira (22), por volta das 9h, ao cair de uma altura de 30 metros, durante a manutenção de uma torre de comunicação de telefonia móvel pertencente ao Grupo Torre Sul (GTS).

O acidente aconteceu na rua Raul de Azevedo, bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus. Segundo informações da empresa, a vítima utilizava o cinto de segurança, mas ao tentar mudar de posição, acabou despencando da torre.

De acordo com a empresa paulista GTS, a vítima, natural do Estado do Pará, era funcionária da terceirizada ‘Vertical’ – empresa goiana  em que prestava serviços  há cinco meses.

Ao EM TEMPO Online, o diretor da GTS, Antônio de Pádua, informou que a  GTS  atua no  mercado há cinco anos  e  assim que tomou conhecimento do acidente, acionou o setor jurídico para  acompanhar o caso.

Segundo o representante do departamento jurídico da GTS, Roberto Pereira, a empresa já tomou as providências  necessárias para  colaborar com o Corpo de Bombeiros.

Pereira informou ainda que a GTS já fez contato com a ‘Vertical’ para os procedimentos de assistência à família do funcionário.

“Estamos muito tristes com esse acidente fatal, mesmo sendo um funcionário de outra empresa. Mas, já entramos em contato com os familiares para ajudar no que for necessário para minimizar a dor”, declarou Pereira.

Acidente

Conforme Pereira, a empresa recebeu informações não oficiais, mas irá aguardar o resultado da perícia para depois se pronunciar sobre as causas do acidente, que até o momento, não foram divulgadas pelo órgão competente.

“Este é o primeiro acidente com vítima fatal em cinco anos de existência da GTS. Entretanto, ficaremos à disposição das autoridades policiais sobre o caso”, explicou.

Traslado

A empresa Vertical enviou um representante à capital amazonense para acompanhar os procedimentos do traslado do corpo de Benedito. De acordo com o cunhado dele, que também é funcionário da empresa goiana, Walter da Costa Santos, o sepultamento da vítima acontecerá na cidade natal de São Caetano de Odivelas (a 110 quilômetros de Belém).

“A empresa está custeando todas as despesas necessárias para o translado do corpo. Infelizmente um descuido pode ter provocado a fatalidade. Mas, vamos aguardar o resultado final da perícia sobre o acidente”, disse o cunhado da vítima.

IML

O laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) apontou que Benedito sofreu de politraumatismo – lesões múltiplas de diversas naturezas que podem comprometer diversos órgãos e sistemas. A vítima morreu após o impacto contra o chão.

Policiais militares da 5ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) atenderam a ocorrência inicialmente. O acidente foi registrado no 5º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Por meio de nota, a Oi informou que não é proprietária da torre de telefonia mencionada. “A torre pertence à empresa Torresur e o funcionário trabalhava para empresa Vertical”.

Por Josemar Antunes (especial EM TEMPO Online)

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top