País

Torcedores e policiais entram em confronto novamente no Itaquerão

Pedras e garrafas foram lançadas contra os policiais pelos torcedores, no Itaquerão - foto: divulgação

Pedras e garrafas foram lançadas contra os policiais pelos torcedores, no Itaquerão – foto: divulgação

Neste sábado (19), torcedores do Corinthians e a Polícia Militar entraram em confronto novamente, na Arena Corinthians. No último jogo do time no estádio, na última quarta (16), contra o Cerro Porteño, o confronto já havia ocorrido, dentro da arena.

Desta vez a briga aconteceu do lado de fora. Segundo, torcedores que não quiseram se identificar, a briga começou com ação da PM após a torcida protestar contra a Globo, a FPF e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o deputado estadual Fernando Capez (PSDB), além de pedir as contas do estádio.

À Folha de S.Paulo, o capitão Zaccaro da Polícia Militar, responsável pelo efetivo no jogo, disse que a versão dos torcedores “é uma inverdade”.

Segundo ele, na saída dos torcedores organizados, policiais que faziam a segurança no portão foram cercados e agredidos.
“Na hora que eles saíram do portão eles fecharam os policiais que se encontravam no lá e começaram a agredi-los. Não houve ação por parte da polícia. Eles estavam a todo momento ostentando essa faixas [com protestos]”, afirmou Zaccaro.

Um grande efetivo de policiais foi deslocado para o local. Mais de 20 bombas de gás lacrimogênio foram usadas pela PM, segundo contagem da reportagem.

“Eles pediram apoio em virtude dessa ação da torcida. Chegou reforço e eles saíram correndo e nesse momento houve necessidade de intervenção por parte do policiamento. E, na hora que chegamos do lado externo, já havia um grupo de torcedores da Gaviões da Fiel preparados para o enfrentamento”, disse Zaccaro.

“Com paus, pedras, municiados de garrafas e latas de cerveja, atirando elas nos policiais. Se aproveitaram dos veículos estacionados aqui na esplanada leste para se protegerem, atiravam pedras e arremessaram grades”, disse o capitão.

Muitas pedras e garrafas foram lançadas contra os policiais pelos torcedores. Uma viatura do Batalhão de Choque teve a janela quebrada. Ninguém foi preso.

“Não houve detenção de torcedores porque mantiveram uma distância do policiamento e, por questão de segurança, não avançamos para cima deles para fazer detenções. Eles estavam a uma distância de mais ou menos 30 metros dos policiais”, afirmou. “Parece uma ação orquestrada, não sei em virtude do quê”, afirmou o capitão.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir