Sem categoria

Toque de recolher imposto por traficantes assusta moradores do São José

Menos de 12 horas após o atentado no beco da Sorte, moradores do bairro São José 2, Zona Leste, estão assustados com o toque de recolher imposto pelos líderes do tráfico da área. Segundo denúncia, o alerta é enviado por mensagens via aplicativo WhatsApp e começaram a se espalhar logo depois que dez homens armados e encapuzados invadiram o local e atiraram contra nove pessoas, das quais duas morreram.

“As mensagens foram enviadas pelo WhatsApp, por moradores. Eles ouviram aqui na rua que comandantes do tráfico da área vão começar a impor um toque de recolher. Não sabemos se é verdade, mas estamos com muito medo. Não queremos ser as próximas vítimas de bala perdida”, comentou uma moradora, que preferiu não se identificar por temer represálias.

Responsável pelo patrulhamento da área, a Polícia Militar negou ter recebido qualquer tipo de denúncia referente ao toque de recolher. Apesar disso, moradores do bairro estão inquietos e com medo de sair de casa. “Não estamos mais seguros nem na janela de nossas casas. Qualquer barulho me assusta. Tenho medo até de abrir a porta. Virei refém dentro da minha própria casa”, lamentou um morador.

PMs que patrulham o bairro São José 2 informaram que o tiroteio ocorrido na noite do último domingo está relacionado ao tráfico de drogas e que, possivelmente para instaurar o medo no local, os traficantes envolvidos no atentado estejam tentando impor esse toque de recolher.

Um PM – que preferiu não se identificar – relatou que um traficante da área conhecido como “Passarinho” foi o mandante do atentado ao beco da Sorte. Segundo o policial, “Passarinho” estaria tentando vingar a morte do comparsa dele, identificado como Waldeir Azevedo Guimarães, o “Binzinho”, morto no dia 3 deste mês. “A gente sabe que esse tiroteio ocorreu devido ao tráfico de droga. O que está sendo investigado é a participação de “Passarinho” nesse caso, uma vez que há informações de que ele teria encomendando esse tiroteio em represália a morte de um soldado do tráfico dele”, disse.

Vítimas

Das noves pessoas baleadas no atentado ao beco da Sorte, Dermilson da Silva  Carvalho,17, morreu ao dar entrada no pronto-socorro João Lúcio.  Por volta das 2h55, outra vítima, o cabelereiro, Rony Novo de Menezes, 24, não resistiu aos ferimentos e também morreu. Segundo a irmã dele, que preferiu não se identificar, o cabeleireiro foi alvejado com pelos menos três tiros, sendo que um atingiu o peito. No momento do tiroteio, ele carregava o filho Ramon Novo Cordeiro, 2, que chegou a ser pisoteado pelas pessoas que correram para não serem atingidas com os tiros.

“Meu irmão mexia no celular, com o filho no colo, quando foi baleado. Meu sobrinho caiu no chão e foi pisoteado pelas pessoas que correram assustadas com os disparos. Rony tinha ido mais cedo  no bairro para visitar pontos comerciais, porque estava pensando alugar um para montar o salão dele”, disse.

Presos Após o tiroteio, a polícia capturou, pelo menos, duas pessoas suspeitas de participar do crime. Josivaldo de Oliveira Ruas, 38, e Vanndamme Mendes dos Santos, 26, têm passagens pela polícia por diversos crimes, entre os quais tráfico de drogas, roubo, furto e porte ilegal de arma de fogo. A dupla foi detida próximo ao local do tiroteio e levada ao 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde negou participação no crime. Como o caso ainda está sendo investigado, a dupla segue detida.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir