Dia a dia

Tjam suspende, temporariamente, julgamento de PM’s acusados de matar dupla em 2007

promotor

O promotor Edinaldo Medeiros pediu a suspensão para que sejam cumpridos mandados de condução coercitiva das testemunhas – foto: Cecília Siqueira

A pedido do Ministério Público do Estado (MPE), o Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) suspendeu, temporariamente, na manhã desta quarta-feira (24), o julgamento de quatro policiais militares acusados de matar dois homens suspeitos de roubarem quatro pneus de um veículo, em 2007, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Na época, quatro pessoas presenciaram a ação dos policiais e foram arroladas no início da causa, entretanto, o MPE-AM alegou que, por ser um processo antigo, é comum que testemunhas mudem de endereço.

Segundo o promotor de Justiça do MPE-AM, Edinaldo Aquino Medeiros, a suspensão temporária foi necessária para que sejam cumpridos os mandados de condução coercitiva das testemunhas, entretanto, mesmo que elas não sejam localizadas, o julgamento deverá terminar ainda hoje.

“Pedimos a suspensão para que o oficial de Justiça vá ate às residências dessas pessoas. O MPE-AM considera importante que elas venham, todavia o julgamento pode acontecer sem elas, pois já foram ouvidas na audiência de instrução”, enfatizou Aquino.

Os PM’s João Alves da Silva, Reinaldo da Costa dos Santos, Marcos Paulo Ferreira de Araújo e Lúcio Magno de Souza são acusados de sequestrar, torturar e matar Gabriel da Silva Ribeiro e Luiz Fernando Gonçalves Neves. Os corpos das vítimas foram encontrados em avançado estado de decomposição em um terreno no quilômetro 24 da BR-175, cinco dias após o sequestro.

Por Cecília Siqueira (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir