Dia a dia

TJAM já registrou 5,5 mil pedidos de divórcio este ano; órgão faz oficina para discutir assuntos do tema

divorcio-reprod

A coordenadora do núcleo de conciliação diz que as oficinas ajudam os casais a entender melhor os efeitos da separação e, ainda, como superar as dificuldades dessa fase de mudança – foto: reprodução

Somente nos primeiros nove meses deste ano, em Manaus, mais de 5,5 mil casais pediram o divórcio nas Varas de Família e Sucessões, segundo dados divulgados pelo Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM). Com o intuito de ajudar casais que estão neste processo de separação, abordando temas como partilha de bens, direito a pensão e guarda dos filhos, o Núcleo de Conciliação das Varas de Família do TJAM realiza, todas as últimas quartas-feiras do mês, a ‘Oficina de Parentalidade’.

Conforme a secretária do Núcleo de Conciliação, Juliana Crespo, a oficina é um programa educacional interdisciplinar que foi desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça. E tem por objetivo ajudar os casais a entender melhor os efeitos da separação e, ainda, dar algumas ideias de como superar as dificuldades dessa fase de mudança.

“A programação foi desenvolvida tendo como base a ideia de que embora a ruptura dos laços familiares possa ser estressante e traumática para os pais e filhos menores, as crises de longa duração podem e devem ser evitadas. Entende-se que os casais que conseguem lidar de forma positiva com a separação garantem aos filhos um ambiente acolhedor e favorecem que eles amadureçam positivamente. É importante ressaltar que a oficina se aplica ao fim de qualquer relacionamento que tenha resultado no nascimento de filhos, independentemente do casamento civil ou não, pretendendo transmitir a mensagem de que o fim da relação conjugal não implica no fim da relação parental e os filhos precisam do amparo dos pais, ainda que separados”, explicou.

De acordo com a secretaria do núcleo, a oficina é voltada para os usuários que se encontram com processos tramitando nas Varas de Família e para a população em geral. A expectativa, segundo Juliana, é que sejam atendidas uma média de 50 pessoas por oficina.

“De maneira geral, os participantes demonstram bastante interesse na temática da regulamentação da guarda, pensão alimentícia, compreensão das emoções e sentimentos dos filhos e formas de estabelecer uma comunicação eficaz”, disse a coordenadora.

As oficinas acontecem toda última quarta-feira do mês, no Fórum Ministro Henoch Reis, 5º andar, setor 06, com início às 9 horas e término às 12 horas. Para participar as pessoas podem comparecer diretamente no dia da oficina.

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir