Dia a dia

‘Titanic’ vira ameaça à saúde pública, no Centro de Manaus

A entrada principal do prédio, onde funcionava uma metalúrgica irregular, foi fechada com tijolos e cimento - foto: Gerson Freitas

A entrada principal do prédio, onde funcionava uma metalúrgica irregular, foi fechada com tijolos e cimento – foto: Gerson Freitas

Lacrado em meados de fevereiro, o prédio inacabado conhecido como ‘Titanic”, na rua Mundurucus, no Centro, representa risco de desmoronamento e ameaça à saúde pública. Com andares abertos, o espaço serve de abrigo para moradores de rua, que fazem suas necessidades fisiológicas no local. Comerciantes e moradores do entorno informaram que há baldes, vasos e garrafas PET com água parada, ambiente que favorece a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

“Os donos não estão nem aí para esta velharia. Não querem se comprometer com uma estrutura que deu um prejuízo de milhões. Enquanto isso, o local fica sendo uma ameaça para os comércios vizinhos, que podem ser destruídos caso esta estrutura venha ao chão. Além disso, os mosquitos da dengue já começaram a aparecer, tudo porque o prédio está cheio de criadouros e ninguém faz nada”, disse um morador da área que preferiu não ter o nome divulgado.

A entrada principal do prédio, onde funcionava uma metalúrgica irregular, foi fechada com tijolos e cimento, no mês passado, mas moradores de rua escalam a parede para acessar os andares e passar a noite.

“Este local é um risco em todos os aspectos. À noite, quando estamos descarregando as mercadorias, presenciamos a entrada pela parte lateral de bandidos e prostitutas que escalam as paredes para terem acesso ao espaço. Este prédio virou uma concentração de tudo o que não presta”, disse um comerciante do local, que também preferiu não se identificar.

Avaliação

Por meio de nota, a Prefeitura de Manaus informou que não dispõe do laudo definitivo sobre a situação do prédio e que aguarda o relatório da fiscalização e do setor de operações e licenciamento.

Em caso de demolição, segundo a nota da Prefeitura de Manaus, o proprietário terá que entrar com um pedido para executar a mesma, apresentando os devidos projetos, plano de ação e profissional habilitado responsável, assim como cronograma, visando à segurança da vizinhança e pedestres.

O proprietário do espaço não foi localizado pela reportagem.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir