Dia a dia

‘The Street Store’ chega a Manaus e dá oportunidade a moradores de rua escolherem roupas

Vários lugares do mundo já aderiram à iniciativa e, em Manaus, a 'The Street Store' acontecerá na praça Heliodoro Balbi-foto: divulgação

Vários lugares do mundo já aderiram à iniciativa e, em Manaus, a ‘The Street Store’ acontecerá na praça Heliodoro Balbi-foto: divulgação

Resgatar a dignidade e proporcionar um estímulo aos moradores de rua. Esse é o objetivo do projeto ‘The Street Store’ (A Loja da Rua, em português), que iniciou na África do Sul, mas que ganhou o Brasil e chega em Manaus no próximo dia 5 de julho, das 7h30 às 17h, na praça Heliodoro Balbi, Centro. Ao comparecer no local, a pessoa terá a oportunidade de escolher as roupas que deseja e, ainda por cima, contar com a ajuda de ‘vendedor’ e tudo isso de graça, por meio de doações.

A ideia de trazer o projeto para a capital do Amazonas é do casal José Hilton Pereira da Silva e Lúcia Barreiro da Silva. “Essa iniciativa começou na África do Sul, em 2010, logo após a Copa do Mundo. Muitos turistas acabaram ficando no país para morar, mas o dinheiro acabou, as oportunidades de emprego não apareceram e tornaram-se moradores de rua. Foi quando uma agência criou a campanha de doação de roupas por meio de lojas montadas nas ruas, doando peças que já não eram mais usadas”, explica José Hilton.

De lá para cá, várias partes do mundo aderiram ao projeto. No Brasil, Hilton destaca São Paulo e Rio de Janeiro. “Quando minha esposa teve acesso aos vídeos que mostram como funciona a campanha, achamos a nossa cara, tendo em vista que sempre fazemos questão de participar de doações. Dentre essas ações está a doação de itens para comunidades ribeirinhas do Estado. Alugamos um barco, levamos uma cozinheira e saímos pelo rio distribuindo roupas e outros objetos para os que mais precisam”, comenta.

Foi aí que o casal deu início ao “The Street Store” em Manaus. Apesar de ser do Pará, Hilton afirma que sua terra é o Amazonas e que por ela luta todos os dias. “Informamos ao grupo de pessoas que participa dessas doações que iríamos trazer essa loja para os excluídos para a capital do Estado. Todos compraram a ideia na hora. E ação foi ganhando cada vez mais adeptos. Para se ter noção, no dia do evento, vamos contar com cortes de cabelo, maquiagens, distribuição de sopa… Todo mundo está empenhado em ajudar”, diz.

Hilton, que é fotógrafo, faz questão de esclarecer como irá funcionar o evento. “O morador de rua irá chegar no local, terá a ajuda de um vendedor e terá a oportunidade de escolher suas peças, como se fosse um loja de verdade. Cada pessoa poderá escolher duas camisas, duas calças, bermudas ou shorts e um par de calçados”, adianta. Porém, apesar de ser uma atividade voltada aos moradores de rua, ele comenta que não proibirá a aquisição dos itens por pessoas carentes.

Até o momento, o grupo de amigos já arrecadou mais de quatro mil peças – entre roupas e calçados – que foram doadas em vários pontos da cidade. “Contamos com colaboradores em várias zonas. Eles são os responsáveis em receber toda essa doação que estará disponível para a aquisição no dia 5 de julho”. E a ‘The Street Store’ já deu tão certo, que Hilton adianta a data do próximo evento: dia 19 de agosto.

“Só estamos indecisos com relação ao local. Acreditamos que nesta edição contaremos com um público de 10 mil pessoas de forma direta e indireta. Por isso, pensamos em começar a trabalhar por zonas, para que não haja nenhum tipo de desconforto ou tumulto. Mas isso será comunicado de forma prévia”, finaliza.

Por Bruno Mazieri (equipe EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir