Dia a dia

Testemunhas de PMs agredidos serão ouvidas na próxima semana

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) encaminhou as vítimas ao Hospital e Pronto-Socorro João Lucio, na Zona Leste, onde permanecem em estado grave - foto: divulgação

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) encaminhou as vítimas ao Hospital e Pronto-Socorro João Lucio, na Zona Leste, onde permanecem em estado grave – foto: divulgação

Representantes de torcidas organizadas, que estavam presentes na festa onde os policiais militares André Silva e Jeferson Castro foram espancados, no último domingo (20),  compareceram à sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, (DEHS), na manhã desta quarta-feira (23) para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido. O grupo deve prestar novos depoimentos na próxima semana.

Ivo Martins,  delegado titular da DEHS,  informou que o caso está sendo investigado pela especializada, e 27º Distrito Integrado de Polícia (DIP).”Por determinação da Secretária de Segurança Pública (SSP), a equipe da DEHS, também vai contribuir  nas investigações, a fim de descobrir as circunstâncias do ocorrido. Estamos iniciando as diligências, ainda. Alguns dos evolvidos já foram ouvidos, mas por enquanto, trata-se de depoimentos informais”, disse o delegado.

O delegado Márcio André, titular do 27 º DIP, relatou que os policiais militares foram agredidos em frente a uma casa noturna, situada na Cidade Nova, zona Norte da capital. “A esposa do sargento André, que também é policial militar, teve a sua arma roubada no local, e ligou para o  sargento, relatando o ocorrido. Ele, e o outro colega de frada se deslocou ao endereço, entrou no local à paisana, momento que os dois foram agredidos pelos torcedores”, contou .

Ainda conforme o delegado Márcio, foram ouvidos 14 representantes. “Eles relatam que os policiais miliares chegaram na festa efetuando vários disparos. Porém, alegam que não presenciaram as agressões feitas aos PMs. Em todo caso, como se trata de uma conversa informal, não é possível se chegar a uma conclusão. Eles serão ouvidos novamente, na próxima segunda-feira,(28) no 27 º DIP. A partir desses depoimentos, faremos um levantamento das informações”. informou a autoridade policial

No momento do ocorrido, os suspeitos Cadu Cavalcante e Elonilson Cruz foram baleados pelos policiais militares, e reconhecidos pela vítima. Segundo o delegado, os dois foram autuados por roubo e tentativa de latrocínio. Eles foram apresentados no 6ºDIP, e na última terça-feira e encaminhados para o 27 º DIP.

Os policiais  militares ainda não foram ouvidos porque encontram-se internados no Hospital.  André está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Jefferson encontra-se em estado de observação, segundo o delegado Márcio.

Por Bruna Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir