Economia

Terceirizados de empresa, na Zona Centro-Sul, protestam por salários atrasados

Terceirizados da Prefeitura de Manaus realizaram protesto em frente à empresa JM ServiçosTerceirizados da Prefeitura de Manaus realizaram protesto em frente à empresa JM Serviços - foto: Ione Moreno

Terceirizados da Prefeitura de Manaus realizaram protesto em frente à empresa JM ServiçosTerceirizados da Prefeitura de Manaus realizaram protesto em frente à empresa JM Serviços – foto: Ione Moreno

Auxiliares de serviços gerais que prestam serviços terceirizados para a Prefeitura de Manaus realizaram nessa terça-feira (25) um protesto em frente à empresa JM Serviços Profissionais da Construção e Comércio LTDA, na avenida Duque de Caxias, Zona Centro-Sul, para cobrar o pagamento dos salários que estão atrasados há três meses.

De acordo com a servidora Maria Nunes de Souza, a empresa JM não realiza o pagamento do salário desde o mês de junho. Segundo ela, durante este período, a direção da empresa tem evitado conversar com os trabalhadores. Por conta desta situação, os funcionários decidiram suspender as atividades até que a situação seja normalizada.

Segundo a auxiliar, nas poucas vezes em que a empresa se manifestou sobre o assunto, foi informado apenas que a prefeitura não estava realizando o repasse, provocando assim o atraso.

Outra informação repassada foi a de que somente uma parcela seria depositada ainda nesta semana, enquanto que as outras duas estão sem previsão para ser depositadas.

Para Maria, o descaso da empresa é uma falta de respeito com os trabalhadores. que dependem do dinheiro para sobreviver. “Algumas pessoas já foram até despejadas de suas casas porque estão com o aluguel atrasado.Há pessoas ainda que passam fome. A empresa, simplesmente, coloca a culpa somente na prefeitura. Cadê a responsabilidade dessa empresa para com os colaboradores? Cadê o compromisso da prefeitura com os seus prestadores de serviços? Não existem de ambas as partes. Apenas da nossa, que mesmo sem dinheiro, todos os dias, executamos os nossos serviços”, disse Maria.

Atraso

Maria destacou ainda que, além do salário, a empresa JM até o momento não realizou o pagamento do 13º salário de 2014 e das férias vencidas também no ano passado.

Conforme relatos dos servidores, os colaboradores que cobram o pagamento desses benefícios trabalhistas são ameaçados pela direção da empresa de demissão.

“Queremos nossos direitos trabalhistas. Já está para vencer o prazo para o pagamento da primeira parcela do 13º salário deste ano e ainda não recebemos nem a do ano passado. Vamos trabalhar com fome, por muitas vezes, sem vale-transporte, mas não deixamos de comparecer ao serviço.Vamos acampar em frente à prefeitura e só sairemos quando o dinheiro for depositado na conta”, disse.

Em nota a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que entrou em contato com a empresa JM e a mesma disse que são dois meses atrasados. A empresa informou ainda à secretaria que efetuou o depósito na conta dos funcionários, no último dia 24, e o dinheiro cairá em, no máximo, dois dias.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir