Mundo

Tempestade Érika atinge República Dominicana e segue para Flórida

A República Dominicana sofria, nesta sexta-feira (28), com os ventos e as chuvas da tempestade tropical Erika, que devastou a pequena ilha de Dominica, deixando ao menos 20 mortos e poderá alcançar Cuba e Flórida nos próximos dias.

Embora tenha perdido força, a tempestade deve atingir o leste de Cuba ao longo do dia deste sábado e chegar ao centro do país até a noite. O país decretou um alerta de ciclone na sexta.

Na noite de sexta, Erika entrou na República Dominicana com fortes chuvas e ventos de até 85 km/h. O olho da tempestade passou 155 km a sudeste da capital dominicana de Santo Domingo.

Os meteorologistas americanos informaram que se espera que Erika perca força nas próximas 48 horas e “que a tempestade tropical diminua”, inclusive com a possibilidade de que se “dissipe” após deixar a ilha de Hispaniola, onde ficam a República Dominicana e o Haiti.

Mas se continuar, Erika pode chegar na segunda-feira pelo Golfo do México à costa oeste da Flórida, como uma frágil tempestade tropical. O governador da Flórida, Rick Scott, decretou estado de emergência, o que permite mobilizar recursos para os serviços de emergência e ativar a Guarda Nacional.

Horas antes, Erika castigou a ilha de Dominica, onde as fortes chuvas provocaram inundações que deixaram ao menos 20 mortos e muitos outros desaparecidos, informou o primeiro-ministro da ilha caribenha, Roosevelt Skerrit.

O ministro de Obras Públicas e Portos de Dominica, Ian Pinard, havia informado previamente o balanço de 25 mortos e muitos desaparecidos. “O país foi devastado severamente”, afirmou.

Devido aos graves danos, a Organização dos Estados Americanos (OEA) ofereceu seu apoio à Dominica, onde várias pontes e rodovias, e até o principal aeroporto do país, foram danificados.

A Dominica recebeu mais de 300 mm de chuvas, segundo o NHC.

Incerteza na Flórida

A República Dominicana é particularmente sensível às tempestades devido aos seus numerosos rios. No país, os serviços de salvamento estavam prontos para agir, enquanto as escolas e as praias permaneciam interditadas.

Apesar de ainda persistir a incerteza sobre se o fenômeno chegará à Flórida e com qual potência, o estado continuava os preparativos.

Na sexta, as autoridades em vários condados costeiros da Flórida distribuíam sacos de areia para conter as águas e pediam para reforçar a proteção das casas, enquanto as pessoas compravam água potável, lanternas, baterias e comida não perecível em supermercados.

Em Porto Rico, Erika deixou cerca de 250 mil pessoas sem energia elétrica, mas não causou maiores danos. O fenômeno gerou chuvas que poderão ajudar a conter a severa seca do estado livre associado aos Estados Unidos.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir